FANDOM


Íconedeera-AC2.pngÍconedeera-Discovery.pngÍconedeera-Syndicate.pngÍconedeera-FilmedeAC.png

Tomás de Torquemada
[[Arquivo:

ACM Torquemada.jpg

AC2D Torquemada.png

|250px]]
Informações biológicas
Nasceu em

1420
Valladolid, Coroa de Castela

Morreu em

16 de setembro de 1498
Ávila, Coroa de Castela

Informações políticas
Afiliações

Inquisição Espanhola
Templários

Informações do mundo real
Aparece em

Assassin's Creed II (Glifos)
Assassin's Creed II: Discovery
Assassin's Creed - O Filme

Ator

Javier Gutiérrez

"Você ousa me repreender? Eu sou o martelo de hereges, a luz da Espanha, a honra da minha ordem! Eu sigo apenas o comando de Deus."
―Torquemada, falando com Ezio Auditore, 1492[src]

Tomás de Torquemada (1420 - 1498) foi um frade Dominicano espanhol, o primeiro Inquisidor Geral da Espanha, confessor da rainha Isabel I de Castela e um Mestre Templário.

Rodrigo Bórgia, um cardeal conhecido e candidato ao Papado, homem que Torquemada admirava muito, introduziu Torquemada à Ordem dos Templários, revelando-se como o Grão-Mestre dos Templários Italianos. Rodrigo e Torquemada então usaram a sangrenta e brutal Inquisição Espanhola para seus próprios benefícios, e no processo Torquemada fundou os Templários Espanhóis.

Favorecendo a queimada na estaca dos "hereges", Torquemada aproveitou sua posição de poder para massacrar os Assassinos em meio a Inquisição, chamando-os de hereges.

BiografiaEditar

Eliminando os AssassinosEditar

Em 1491, Torquemada servia a Rodrigo Bórgia, Grão-Mestre secreto dos Templários Italianos e cardeal candidato ao Papado, e ele admirava Rodrigo imensamente. Rodrigo então introduziu Torquemada à causa Templária, as Peças do Éden e seus arqui-inimigos. Simpatizando com os ideais Templários, Torquemada fez seus homens, os inquisidores Gaspar Martínez, Pedro Llorente e Juan de Marillo, capturar esses indivíduos, que eram Assassinos, e os prepararem para a execução. Torquemada também recrutou vários indivíduos para se juntar a ele, entre eles o cavaleiro impiedoso Ojeda e o general Ramires. Assim, ele formou os Templários Espanhóis.

Torquemada e Ojeda foram responsáveis pela execução de vários Assassinos, entre eles os pais de Aguilar de Nerha.

Entretanto, o Assassino italiano Ezio Auditore da Firenze chegou na Espanha para tentar impedir Rodrigo e Torquemada de exterminarem a irmandade espanhola, e juntou forças com os Assassinos espanhóis Raphael Sánchez e Luis de Santángel para lutar contra Torquemada. Ezio assassinou Martínez, pondo um fim a uma execução de Assassinos em Barcelona.

Algum tempo depois, Torquemada viajou para Zaragoza e visitou Llorente, o Calcificador da Inquisição. Eles vigiaram e assistiram a execução de outro Assassino, mas Ezio havia se infiltrado no lugar e escutado a conversa, descobrindo que os nomes haviam sido providenciados por Rodrigo Bórgia. Quando Torquemada saiu da área, Ezio rapidamente assassinou Llorente.

Embora Ezio tenha concluído que Torquemada era apenas uma marionete controlada pelos Bórgia, ele era de fato um Mestre Templário. Usando sua influência para eliminar todos os obstáculos dos Templários, Torquemada havia com sucesso manipulado a fé e a discórdia religiosa para beneficiar os Templários.

Capturando o PríncipeEditar

Em 1492, Torquemada descobriu a existência de uma Maçã do Éden que estava na posse do Sultão Maomé XII, governante do Emirado de Granada. Ele então decidiu capturar o filho do Sultão para trocar-lo pela Maçã. Torquemada enviou Ojeda, Ramires e um grupo de soldados à aldeia onde o príncipe estava se escondendo.

Embora eles tenham capturado o príncipe, o grupo Templário foi emboscado por Assassinos, e Ramires foi morto. Os únicos sobreviventes Assassinos foram o Mentor Benedicto, Aguilar e amante dele Maria. Torquemada e Ojeda então organizaram a execução dos três Assassinos na estaca, e Torquemada realizou um discurso em relação a como os hereges estragam a Espanha, xingando os Assassinos disso. Benedicto queimou, mas Aguilar e Maria conseguiram escapar.

A Invasão de GranadaEditar

Pouco tempo depois, o exército Espanhol e os Templários, que controlavam a Espanha através de várias conexões, finalmente invadiram Granada. Enquanto a batalha entre os espanhóis e os mouros acontecia na cidade, um grupo de Templários liderados por Torquemada e Ojeda tomaram controle do Palácio Alhambra, e encurralaram o Sultão.

Vendo que os Templários tinham seu filho, o Sultão aceitou barganhar com Torquemada, e os deu a Maçã em troca de seu filho. Naquele momento, Aguilar e Maria arremessaram bombas de fumaça no salão, e rapidamente assassinaram a maioria dos Templários lá, deixando apenas Torquemada e Ojeda vivos. Quando a fumaça se foi, Torquemada havia sido feito refém por Aguilar, enquanto Ojeda havia feito Maria de refém.

Ojeda demandou a Maçã em troca de Maria, mas Maria forçou Ojeda a enfiar seu punhal na garganta dela para que Aguilar não perdesse a Maçã apenas por suas emoções amorosas. Enraivecido, Aguilar jogou Torquemada no chão e lutou ferozmente com Ojeda, e quando Ojeda estava prestes a executar Aguilar, o Assassino pegou a lâmina de Maria e esfaqueou Ojeda múltiplas vezes.

Torquemada aproveitou a distração para abrir o portão para que os reforços Templários e espanhóis chegassem. Aguilar tentou correr mas foi encurralado pelos Templários de um lado e os espanhóis do outro. Torquemada pediu a Maçã, mas Aguilar pulou da ponte e conseguiu escapar, com Torquemada tendo um ataque de raiva por ter perdido a Maçã.

Contudo, Torquemada foi rápido e colocou um de seus inquisidores, Juan de Marillo, no comando da Inquisição em Granada, mas de Marillo foi assassinado por Ezio, que havia chegado em Granada naquele dia.

Confronto com EzioEditar

Após o cerco de Granada, Torquemada retornou a seu castelo, mas Ezio o seguiu e infiltrou-se no castelo, querendo descobrir se Torquemada realmente era um Templário ou apenas outro Cristão enganado por Rodrigo Bórgia e uma marionete dos Templários.

End1.JPG

Ezio confrontando Torquemada.

Ezio então o confrontou, e Torquemada então o xingou de herege e ateu. Ezio respondeu dizendo que Rodrigo também é um ateu como ele, e está apenas usando Torquemada para eliminar seus inimigos pessoais e amarrar pontas soltas. Torquemada respondeu com fúria, dizendo a Ezio que ele segue o comando de Deus e que ele é a luz da Espanha e o martelo dos hereges.

Dito isso, Ezio então correu até Torquemada e tentou assassinar o inquisidor, mas Torquemada abaixou um portão entre ele e Ezio, e então riu e escapou. Ezio então disse que com o tempo ele iria descobrir que estava sendo enganado, mas seria tarde demais. Ezio achou que Torquemada era igual aos inquisidores que ele havia assassinado, um ignorante e marionete dos Bórgia, mas ele estava estranhamente incorreto.

MorteEditar

Torquemada foi eventualmente morto pelos Assassinos em 1498, na cidade de Ávila.

CuriosidadesEditar

ReferênciasEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória