FANDOM


Íconedeera-AC2Íconedeera-BrotherhoodÍconedeera-RecollectionÍconedeera-MemoriesÍconedeera-IdentityÍconedeera-RenascençaÍconedeera-IrmandadeÍconedeera-RevelaçõesÍconedeera-EmbersÍconedeera-AssassinosÍconedeera-emdestaque

Logopequenodawikipédia
PL ArtisanHQ Paciência, irmãos. Em breve iremos revelar os segredos Assassin's Creed: Identity.

Este artigo foi identificado como sendo desatualizado. Por favor, atualize o artigo para refletir lançamentos recentes e, em seguida, remova esta predefinição, uma vez feito.

"Os profetas desarmados sempre foram destruídos, enquanto os profetas armados foram bem-sucedidos."
―Nicolau Maquiavel em O Príncipe.[src]

Nicolau Maquiavel (1469 – 1527) foi um filósofo, humanista e escritor italiano, e um membro da Irmandade Italiana dos Assassinos. Considerado um dos principais fundadores da ciência política moderna, ele foi um diplomata, filósofo político, músico e dramaturgo, mas acima de tudo, ele foi um funcionário público da República Florentina.

Com a Ordem dos Assassinos, Nicolau primariamente trabalhou com seu aliado Ezio Auditore da Firenze, e ajudou-o a tirar os irmãos Orsi de Forlì e a remover o monge Girolamo Savonarola do poder em Florença para obter a "Maçã do Éden" - um artefato antigo - dele.

Dois anos depois, Maquiavel tomou a posição de líder dos Assassinos Italianos, após a morte do líder anterior Mario Auditore. Mais uma vez junto com Ezio, eles lutaram contra a corrupta família Bórgia, a qual comandava Roma. Eventualmente bem-sucedidos em seu objetivo, Maquiavel se juntou a Ezio e a Leonardo da Vinci perseguindo César Bórgia em Valência.

Maquiavel então se focou em seus deveres no governo Florentino, liderando a milícia Florença até ele ser derrotado, preso e privado de seu ofício.

Na sérieEditar

Nicolau foi um membro secreto dos Assassinos, e o líder florentino dos mercenários. Este foi o motivo, talvez, ele ser uma pessoa tão secreta, para não revelar muito sobre si mesmo. Nicolau e os outros assassinos foram ao ataque à Rodrigo Bórgia, que estava naquele momento na posse da Maçã do Éden. Sem o conhecimento deles, Ezio Auditore da Firenze, que também sabia que Rodrigo tinha a Maçã, o atacou. Os outros assassinos foram para ajudá-lo a afastar os guardas de Rodrigo. Eventualmente, Rodrigo fugiu, deixando a Maçã para trás. Nicolau se revelou juntamente com o outros assassinos, que tinham ajudado a assassinar o Ezio com os Templários antes.

Na idade de 27 anos, Nicolau estava presente no início do Ezio na Fraternidade assassina, realizando um Salto de Confiança, juntamente com os assassinos outros em 1488.

Eventualmente, Nicolau ajudou Ezio defender Caterina Sforza e a cidade de Forlì. Ele também o ajudou durante a Fogueira das Vaidades, na qual Girolamo Savonarola adquiriu a Maçã do Éden.

Em 1500, Nicolau, em 31 anos de idade, acompanhava Ezio em Roma. Eles renovaram a Ilha Tiberina e a transformaram em sede dos Assassinos. Enquanto Ezio saiu minando a influência Bórgia sobre Roma, Nicolau permaneceu na ilha, comandando formação de novos recrutas Assassinos enviados por Ezio. Maquiavel também criou meios de comunicação entre Ezio como os pombos.E foi quase morto por Ezio, por causa que La Volpe suspeitava de sua lealdade, então eles veem Nicolau subornando os soldados dos Bórgia ,mas ele estava trocando informações com um espião. Mais tarde descobrem que o verdadeiro traidor era um dos ladrões de La Volpe.

Assassin's Creed BrotherhoodEditar

Arquivo:Maquiavel pose.jpg

Após o retorno Ezio para Monteriggioni em 1499, disse aos Assassinos o que aconteceu no Vaticano. Maquiavel sentiu Ezio cometeu um erro grave ao manter Rodrigo vivo. Furioso, ele partiu para Roma. Pouco depois, Monteriggioni foi atacada por César Bórgia e, após o cerco tinha acabado, Ezio fez o seu caminho para Roma, mas não passou do meio do caminho, devido aos seus ferimentos. Ezio acorda enfaixado em uma casa nos arredores de Roma, descobriu que Maquiavel estava esperando. Mais tarde, se juntou a Maquiavel, mas desenvolveram uma rivalidade entre eles a respeito de quem seria Grão-Mestre da Ordem do Assassinos, em Roma. Apesar de o ciúme entre Ezio e Maquiavel, tomaram o controle da Ilha Tiberina e fez a sua sede. Considerando Ezio saiu para caçar ativamente dos Templários, Nicolau ficou para trás na ilha para treinar novos aprendizes Assassinos. Ele também informou Ezio demetas Templários que precisava ser cuidada.

ReferênciasEditar