FANDOM


Íconedeera-IndivíduosÍconedeera-BrotherhoodÍconedeera-Project LegacyÍconedeera-RecollectionÍconedeera-Templários

Logopequenodawikipédia
"É melhor morrer iluminado do que viver na ignorância."
―Nicolau Copérnico.[src]

Nicolau Copérnico (1473 – 1543), também conhecido como Niccolò Copernico, foi um astrônomo, matemático e padre da Renascença. Ele foi a primeira pessoa a apresentar um modelo correto do heliocentrismo.

BiografiaEditar

Copérnico era o caçula dos quatro filhos. Como seu irmão, que se tornou um padre, e sua irmã, que se tornou uma freira, Copérnico se matriculou em uma formação humanista para se tornar um padre, estudando Aristóteles, Ptolomeu e outros na Universidade de Cracóvia. Depois de se formar, Copérnico esperou ser nomeado como um clérigo em Vármia, mas viajou para a Itália para estudar Direito primeiro.

Enquanto aprendia na Itália, Copérnico descobriu que preferia assistir a palestras de Ciências Humanas e descobriu sua paixão, a astronomia. Seu mentor foi Domenico Maria Novara da Ferrara. Em 1500, Copérnico visitou o Vaticano, onde foi apresentado à Ordem dos Templários. Ao se juntar a eles, ele mais tarde disse que eles o queriam para manter suas descobertas em segredo.

Um dia depois, porém, ele iluminou o público sobre a ciência e a matemática no O Campidoglio, encorajando-os a questionar os ensinamentos do passado, já que ele não conseguia manter suas conclusões para si mesmo. Ele passou a insistir o público a visitá-lo, ou visitar seus colegas estudiosos se quisessem saber mais.[1]

Assim que os Bórgia – a casa líder na Ordem dos Templários – ouviram falar disso, eles enviaram seus guardas para matar Copérnico e outros eruditos. O Assassino Ezio Auditore da Firenze observava a cena se desenrolar e, ao perceber seu inimigo comum, veio em auxílio de Copérnico.[1]

Copérnico admitiu suas afiliações aos Templários para Ezio, embora este último estivesse disposto a ajudar Copérnico a chegar a um local seguro. Ao chegar em um edifício isolado no Bairro Antico, Copérnico pediu a Ezio para entregar alguns documentos para seus colegas eruditos, que poderia informá-los sobre o perigo em que estavam. Embora duvidoso se poderia confiar nele, Ezio concordou, e ajudou a maioria dos eruditos a irem para um esconderijo.[1]

O Assassino voltou algum tempo depois, e então, Copérnico havia concluído que o Mestre do Palácio Sagrado, estava muito provavelmente por trás da trama para matá-lo. Ezio procurou o Mestre e ouviu dele que haviam cinco carrascos que andavam em torno de Roma, procurando por eruditos. Ezio correu para sabotar esses carrascos, e voltou a Copérnico com a confirmação de que sua suspeita estava correta.[1]

Copérnico, no entanto, foi persistente em sair para o exterior para estudar um eclipse lunar. O Mestre do Palácio Sagrado aproveitou essa oportunidade, e enviou um Guarda do Papa para matá-lo. Ezio seguiu e matou o Mestre do Palácio Sagrado antes de retornar a Copérnico, com quem derrubou os agressores. A dupla então seguiu caminhos separados, com Copérnico ficando para trás para estudar o eclipse.[1]

Seguindo seu encontro, Copérnico tornou-se um aliado da Ordem dos Assassinos, e foi ajudado em Estudos Astronômicos com Novara através da proteção da Ordem, com uma instância incluindo os Assassinos Francesco Vecellio e Cipriano Enu.[2]

Copérnico deixou Roma um ano depois, e solicitou uma prorrogação de sua educação no exterior para aprender Medicina em Pádua. Enquanto estava lá, ele aprendeu grego, adicionando um quarto idioma à lista daqueles em que ele era fluente, depois o polonês, o alemão e o latim.

Em 1503, Copérnico voltou para a Prússia e trabalhou como secretário de seu tio, Lucas Watzenrode, o bispo de Vármia. Em seu tempo livre, prosseguiu os seus interesses astronômicos, elaborando sua teoria heliocêntrica e observando o céu à noite. Suas teorias não foram publicadas até pouco antes de sua morte em 1543.

GaleriaEditar

ReferênciasEditar