FANDOM


Íconedeera-Unity.png

Memórias de Versalhes
Memórias de Versalhes 1.png
Informações técnicas
Descrição

Os Assassinos fizeram contato. Sincronize-se com as memórias de Arno Dorian e descubra o que querem com você.

Aparição

Assassin's Creed: Unity

Tipo da memória

Principal

Sincronização completa

  • Não seja derrubado.
  • Passe sobre/debaixo de objetos - 5
Anterior

A Tragédia de Jacques de Molay

Próxima

Os Estados-Gerais

Informações históricas
Ancestral

Arno Dorian

Local

Versalhes, Reino da França

Data

27 de dezembro de 1776
5 de maio de 1789


Memórias de Versalhes foi uma representação virtual de uma das memórias genéticas de Arno Dorian, revivida pelo Iniciado do Helix através do Navegador Helix.

DescriçãoEditar

Arno acompanhou seu pai, Charles Dorian, em uma viagem à Versalhes. Enquanto esperava em um corredor, ele foi distraído por uma garota.

Editar

Charles e Arno andaram pelo Palácio de Versalhes. Arno tornou-se momentaneamente distraído por um servo.

  • Charles: Arno!

Arno sentou-se numa cadeira.

  • Arno: Não posso ir contigo, Pai?
  • Charles: Coragem, meu filho.

Charles mostrou a Arno um relógio de bolso.

  • Charles: Espere aqui. Eu vou voltar quando esse ponteiro chegar ao topo.
  • Arno: Isso é para sempre!
  • Charles: Não tanto tempo assim. E quando eu voltar, veremos fogos de artifício. Arno? Nada de "explorar", certo?
  • Arno: Tudo bem, Pai.

Arno viu uma garota fugindo.

  • Élise: Você prefere ficar com aquele velho? Vamos!
    Não queres vir?
    Por aqui!

Arno seguiu a garota, esbarrando em um garçom.

  • Servo: Meu leitãozinho! (Guardas! Guardas! Detenham-nos!)
  • Cidadão 1: De onde eles vieram?
  • Cidadão 2: Essa não é a garota De La Serre ?
  • Élise: Rápido, rápido!
    (Rápido!)

Élise apontou para uma tigela de maçãs.

  • Élise: Não consegues roubar um.
  • Guarda: Ladrão! Põe de volta! Estes são para sua alteza, não para pessoas como tu!
    Ah droga... o que houve?
    Droga. Que diabos está havendo.
    Você sabe qual a pena por roubar?
    Guarda isso agora!
    Te peguei!

Se Arno foi pego, ele seria forçado a explicar-se e devolver a maçã.

  • Guarda: O que temos aqui, um ladrão?
  • Arno: N-Não senhor. Desculpa-me.

Arno voltou para a garota.

  • Élise: Depressa, por aqui!
Memórias de Versalhes 6.png

Élise apresentando-se a Arno

  • Élise: Você viu a cara deles quando roubamos as maçãs?

Os dois riram.

  • Arno: Sou Arno.
  • Élise: Élise.
  • Arno: Eu vim com o meu pai.
  • Élise: Eu também. Ele tem "negócios importantes com o rei".
  • Arno: O que faremos agora?

Uma comoção foi ouvida.

  • Élise: Shh, Escute! Calma, eles não vão nos procurar aqui.

Arno confrontou os guardas.

  • Arno: Foi minha culpa, fui eu que peguei a maçã.

Os guardas correram, ignorando-os.

  • Élise: Vamos ver aonde eles vão!
  • Cidadão: (Senhor) Franklin, espero sinceramente que esse evento terrível não manche sua opinião sobre o nosso país.
  • Franklin: Se julgássemos as nações pelo caráter de seus criminosos, seríamos todos bárbaros.
  • François: Élise!

Arno olhou para o relógio de bolso.

  • Arno: Papai?
  • François: Venha cá garota, agora!
  • Arno: Papai!

Arno encontrou o corpo de seu pai, cercado por uma multidão.

Memórias de Versalhes 7.png

Arno descobrindo o corpo de seu pai

  • Cidadão: Venha, garoto!
  • François: Arno. Arno. Olhe pra mim.

Arno lentamente olhou para Élise e seu pai, após o qual houve um pulo de tempo de 13 anos.

  • Victor: Não consegue ganhar nas cartas, então começa a roubar, maldito!
  • Arno: Calma, Victor! Eu só vim buscar o meu relógio.
  • Victor: É meu relógio! Eu o ganhei!
  • Arno: Bem, em um mundo justo, eu concordaria contigo. Mas esse não é um mundo justo. Nós estamos na França.
  • Victor: Tu estás morto!
  • Arno: Cuidado onde pisa! Tu vais se machucar.

Victor empurrou uma mesa.

  • Victor: Rragh!

Arno pulou pela janela, mas Victor o fez tropeçar no caminho.

  • Arno: Oof!

Arno deixou cair seu relógio, que foi pego pelo irmão de Victor, Hugo.

  • Arno: Acabei de ter uma conversa com o seu irmão...
  • Victor: Hugo... chame a polícia.
  • Arno: Espere um minuto... Diabo.
  • Hugo: Consegui, Victor!
    Não vou deixar ele pegar!

Arno esbarrou em um cidadão.

  • Cidadão: Ora essa.
  • Arno: Desculpa!
  • Hugo: Sai da frente!

Arno deslizou sobre uma mesa.

  • Mulher: Como ousas?!
  • Arno: Perdão madame.
  • Hugo: Saiam da frente!
    Mexam-se!
  • Arno: Cavalheiros, por favor! Podemos chegar a um entendimento!
  • Victor: Você está morto!
  • Hugo: Rragh!
  • Cidadão: O que significa isso?
  • Hugo: Cala-te!
  • Arno: Desculpa-o, ele não é adestrado.

Arno acabou abordando Hugo.

  • Arno: Um ferreiro cabeça-oca que nem você não deve nem conseguir ler o relógio...
  • Victor: Venha aqui dizer isso.
  • Arno: Ah... não.
  • Victor: Volte já aqui!
    (Parem ele! Ladrão!)
    Vou transformar o seu crânio em uma pasta!
  • Arno: Ah. Sim.
    Desistiu? Devo pedir um descanso?
    Um homem prudente sabe quando admitir derrota, Victor!

Arno escapou e voltou para a Mansão De la Serre.

Memórias de Versalhes 12.png

Victor acusando Arno de roubo

  • Olivier: E onde diabos tem estado, por acaso?
  • Victor: Hah! Te peguei agora, seu merdinha!
  • Arno: É apenas um mal-entendido, nada para...
  • Victor: O seu mestre acolheu um ladrão comum! Em plena luz do dia, ele entrou em minha casa e roubou o meu relógio!
  • Olivier: Ah, ele fez isso? Bom, tenho certeza que a polícia não teria problemas em resolver isso.

François de la Serre se aproximou do grupo.

  • François: Resolver o que, Olivier?
  • Olivier: Bem, uma gravíssima acusação contra o seu protegido, senhor.
  • Victor: Ele me roubou!
  • François: O que, exatamente? Espere por mim na biblioteca, Arno.

Arno fez o seu caminho à biblioteca. Enquanto estava lá, ele fala com uma pintura de Élise.

  • Arno: Não olhes assim para mim. Victor rouba quando joga cartas, todos sabem.
  • François: Arno? Com quem estás falando?
  • Arno: Ninguém, senhor!
  • François: Ficarás feliz em saber que convenci Olivier a deixar de chamar a polícia. De novo.
  • Arno: Muito obrigado, senhor.
Memórias de Versalhes 14.png

François dando bronca em Arno

  • François: Essa é o que, a sexta vez? Sétima? Talvez um novo hobby seja melhor para a tua saúde.
  • Arno: Na verdade, jogar cartas me permite muitas oportunidades de exercícios e ar fresco.
  • François: Falamos sobre isso depois. Tenho negócios na cidade, e devo buscar a Élise antes de resolvê-los.
  • Arno: Élise está aqui?
  • François: Só por essa noite. Ela retorna para Paris amanhã pela manhã.
  • Arno: Ela precisará de um acompanhante, não? Com tu tão ocupado?
  • François: Um de vós criando confusão é o suficiente. Permaneça aqui e veja se Olivier tem alguma tarefa para você.
  • Arno: Aposto que ele tem.
  • François: O que disse?
  • Arno: Mande lembranças à Élise.

ResultadoEditar

Charles Dorian foi assassinado, deixando seu filho Arno sob os cuidados do Grão-Mestre Templário François de la Serre.

ReferênciaEditar

LogobrancodoAnimus.svg Uma galeria de imagens está disponível para
Memórias de Versalhes

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória