FANDOM


Íconedeera-AC2.pngÍconedeera-Brotherhood.pngÍconedeera-Revelations.pngÍconedeera-Rogue.pngÍconedeera-Identity.pngEra-ACi.pngÍconedeera-Renascença.pngÍconedeera-Revelações.pngÍconedeera-Lineage.pngÍconedeera-Embers.png

Florença
Florença San Giovanni.png
Informações políticas
Estado soberano

República e Império Romano (59 A.C. - 476)
Sacro Império Romano (774 - 1115)
República Florentina (1115 - 1532)
Ducado Florentino (1532 - 1569)
Grande Ducado Toscano (1569 - 1801, 1815 - 1859)
Império Francês (1801 - 1815)
Itália (1859 - atualidade)

Corpo governante

República (59 - 27 A.C.)
Autocracia (27 A.C. - 476)
Monarquia (476 - 1115)
República oligárquica (1115 - 1532)
Monarquia absolutista (1532 - 1866)

Outras facções

Assassinos
Templários
Casa dos Auditore
Casa dos Pazzi

Informações históricas
Fundado por

Júlio César

Data de fundação

59 A.C.

Informações adicionais
Marcos notáveis

Santa Maria del Fiore
Santa Maria Novella
Palazzo della Signoria
Santa Croce
Ponte Vecchio

Alvos de assassinato

Uberto Alberti
Francesco de Pazzi
Girolamo Savonarola

Florença (Italiano: Firenze) é uma cidade importante localizada no centro da Itália, e a capital da região da Toscana. Florença foi um dos mais importantes centros de desenvolvimento cultural e humano da Renascença, sendo a origem de inúmeros renascentistas como Nicolau Maquiavel, Leonardo da Vinci e Michelangelo, e nessa época sendo governada pela próspera e famosa família Médici.

No entanto, foi também durante a Renascença que Florença sofreu seu momento mais sombrio, durante o reino do monge maluco Girolamo Savonarola e a Fogueira das Vaidades. Hoje, Florença é um dos pontos turísticos mais notáveis da Itália, e uma de sua mais importantes cidades.

Florença também foi a origem do lendário Mestre Assassino Ezio Auditore da Firenze.

HistóriaEditar

OrigemEditar

Florença foi fundada na era do Império Romano, no ano 59 antes de Cristo, mas ela só se desenvolveria até tornar-se uma cidade importante 1400 anos depois. Nos seus primeiros séculos, Florença esteve no controle de vários poderes diferentes, e como tantas outras cidades italianas, tentou se apossar de territórios próximos, como Monteriggioni e Pisa, fazendo uma aliança confusa mas estável com Monteriggioni e mantendo relações instáveis com Pisa.

Algum ponto antes de 1291, o Assassino Domenico e seu filho Renato vieram à Florença, e adotaram o nome "Auditore". Sob o disfarce da nobreza, os Auditore rapidamente se integraram à classe alta da cidade, tornando-se amigos da famosa família Médici.

No século XIII, a população florentina era de 80,000 habitantes, e a cidade estava rapidamente se desenvolvendo, com a indústria de lã sendo predominante na cidade. Houve revoltas das classes inferiores neste século, mas as classes altas rapidamente tomaram o poder de novo, e a família Albizzi ficou no poder.

No entanto, o banqueiro e influente Cosme de Médici disputou com os Albizzi sobre o controle da cidade, e em 1434 tomou o poder e exilou os Albizzi, menos Luca Albizzi, que sucedeu um velho amigo de Cosme, Ilario Auditore, na posição de Gonfaloneiro.

Governo dos MédiciEditar

Após a revolta de Cosme, os Médici governaram a cidade durante o que era considerado sua era de ouro, o berço da Renascença, o desenvolvimento da cultura humana e das artes, filosofias e ciências. A cidade floresceu sob os Médici, em destaque Lourenço de Médici, com um sistema bancário de sucesso, uma economia boa e a população estável. A cidade era a origem de inúmeros famosos renascentistas, entre eles Leonardo da Vinci, Michelangelo, Sandro Botticelli e Nicolau Maquiavel, todos financiados pelos Médici.

Nesse tempo, maravilhas arquitetônicas como a Santa Maria Novella, Il Duomo, a Ponte Vecchio, o Palazzo della Signoria e Santa Croce agraciaram Florença com suas belezas.

Entretanto, em 1476-1480 houve uma conspiração coordenada pela família Pazzi, rivais antigos dos Médici e uma das mais poderosas famílias florentinas. Lourenço e Juliano de Médici foram atacados publicamente em frente ao Duomo, e enquanto Juliano foi morto, Lourenço foi salvo pelo Assassino Ezio Auditore da Firenze.

Mesmo com o banho de sangue que aconteceu posteriormente, a conspiração foi impedida e seus conspiradores caçados e mortos por Ezio, que tornou-se um grande amigo de Lourenço, assim como seu pai.

Fogueira das VaidadesEditar

Na década de 1490, o estilo de vida extravagante da família Médici frustrou as classes burguesas e trabalhadoras da cidade, e a alta popularidade deles diminuiu muito. Com a morte de Lourenço em 1492, o filho sem talento dele, Pedro, tornou-se o novo Signore de Florença. O reino de Pedro era infinitamente inferior do que o de seu pai, e o monge fanático Girolamo Savonarola chegou em Florença e incitou revoltas com o povo, e usando a Maçã do Éden do Ezio para hipnotizar nove indivíduos poderosas.

Savonarola exilou Pedro, destroçou a nobreza e pregou a destruição de todo desenvolvimento proveniente da Renascença, um retorno à Idade Média, uma vida completamente centralizada em Deus. Ele iniciou a Fogueira das Vaidades, jogou Florença em caos e revoltas, queimando obras de arte, luxúrias, livros e todo tipo de cultura humana na fogueira.

Eventualmente, em 1498, os Assassinos decidiram intervir. Ezio Auditore eliminou todos os nove tenentes de Savonarola, enquanto Maquiavel, Paola e La Volpe reuniram o povo e organizaram uma revolta contra o monge opressor. O povo florentino confrontou Savonarola em frente ao Palazzo Pitti, e o arrastaram até a Piazza della Signoria para o queimar na estaca.

Distritos e MarcosEditar

Distrito Santa Maria NovellaEditar

Distrito San MarcoEditar

Distrito San GiovanniEditar

Distrito OltrarnoEditar

ReferênciasEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória