FANDOM


Íconedeera-SyndicateÍconedeera-SubmundoÍconedeera-Assassinos

PL Treasure HunterHQ Aquele que aumenta em conhecimento, aumenta em tristeza.

Este artigo contém spoilers, o que significa que tem informações e fatos a respeito de lançamentos recentes ou futuros da série Assassin's Creed.
Se você não quiser saber sobre esses eventos, é recomendável ler com cuidado, ou não tudo.

PL MasterHQ Ezio, meu amigo! Como posso servir?

Este artigo precisa desesperadamente de uma repaginada. Por favor, melhore-o de todas as maneiras necessárias para atingir um padrão mais elevado e seguir o nosso Manual de Estilo.

Evie Frye
ACS Render de Evie Frye
Informações biológicas
Nasceu em

9 de novembro de 1847
Crawley, Reino Unido

Informações políticas
Afiliações

Assassinos
Rooks
Ordem da Sagrada Jarreteira
Ghost Club

Informações do mundo real
Aparece em

Assassin's Creed: Syndicate
Assassin's Creed: Submundo

Dublador

Victoria Atkin (inglês)
Mariana Torres (português)

Dama Evie Frye (1847 - desconhecido) foi uma Mestra Assassina da Irmandade Britânica ativa em Londres durante a era vitoriana e a irmã gêmea mais velha de Jacob Frye. Ela também era tia-avó de Lydia Frye. Originários de Crawley, Evie e seu irmão mudaram-se para Londres para tomar o controle da cidade dos Templários e ajudar as massas atingidas pela pobreza, depois que seu pai morreu de causas naturais. Para conseguir isso, juntamente com Jacob, Evie fundou os Rooks, um sindicato do crime oposto aos Blighters, que eram patrocinados por Templários. Enquanto Jacob estava focado em eliminar alvos importantes para os esquemas de Crawford Starrick, Evie procurava um artefato da Primeira Civilização que estava escondido na cidade. Ao fazer isso, ela regularmente entrava em conflito com Lucy Thorne, a Segunda em Comando de Starrick e uma especialista em Peças do Éden.

Biografia Editar

Início da vida Editar

Evie nasceu quatro minutos antes de seu irmão Jacob. Devido à morte de sua mãe Cecily após seu nascimento, os gêmeos foram criados por sua avó até os seis anos e depois disso eles foram treinados por seu pai, Ethan Frye, nos caminhos dos Assassinos. Evie apreciava as lições de seu pai e era atraída por planejamento e pesquisa na Irmandade, e também pelas Peças do Éden, diferente de seu despreocupado irmão Jacob.[1]

Em sua adolescência, Evie usava suas habilidades para espionar as conversas entre Ethan e seu amigo George Westhouse sobre a Irmandade e depois transmitia as informações para seu irmão.[2]

No começo de sua carreira como Assassina, Evie assassinou seu primeiro alvo, um abusivo dono de moinho que se recusava a pagar salários adequados para seus empregados. O dono do moinho foi eventualmente substituído por um Assassino.[1] Após a morte de seu pai em 1868, os gêmeos cooperaram com George Westhouse em Croydon, para remover a ameaça templária de Rupert Ferris e David Brewster. Tendo a sua investigação e planos para o ataque a um trem da Starrick e Co., Evie dsoltou os vagões do trem para se infiltrar no laboratório de Brewster e recuperar um Pedaço de Éden dele e da ocultista Templária Lucy Thorne . Ao obter acesso ao laboratório, Evie assassinou Brewster, que estava experimentando com o artefato em uma máquina e desestabilizá-lo, fazendo com que a máquina tivesse mau funcionamento e explodisse. Ela mais tarde voltou para Westhouse e Jacob para relatar sua realização. Os gêmeos compartilhavam impaciência em viajar para Londres, uma idéia que Westhouse discordava, advertindo aos irmãos que não era o desejo de Ethan para eles. Disposta para continuar o legado de seu pai, Evie acompanhou Jacob em uma viagem de trem para Londres. 

Chegada a Londres Editar

 Os gêmeos chegaram a Whitechapel e decidiram procurar o líder dos Assassinos locais, Henry Green , que os avisou sobre o controle dos templários sobre Londres. Evie se posiciona contra a proposta de seu irmão de criar uma gangue chamada Rooks para desafiar os Blighters , em vez de sugerir a recuperação dos Pedaços do Eden. O trio se encontrou com o escritor Charles Dickens e bandidos Blighters. Evie juntou-se a seu irmão na condução de uma carruagem para distraí-los em perseguir Henry, destruindo as carruagens dos Blighters no processo. Voltando à loja de Henry, os Assassinos discutiram seus contatos dentro da cidade. Eles mais tarde se reuniram com um disfarçado Frederick Abberline, o Chefe do Serviço de Polícia Metropolitana em um beco traseiro. Abberline deu-lhes uma lista de notáveis ​​membros Blighters que sequestraram. Em seguida, Evie e Jacob contataram sua aliada Clara O'Dea em Babylon Alley para obter informações em troca da libertação de crianças do trabalho nas fábricas. Depois de eliminar o resto dos Blighters e seu líder Rexford Kaylock do controle de Whitechapel, a dupla formou o Rooks.  Os assassinos tomaram a posse do trem anterior dos Blighters, fazendo lhe seu esconderijo, e aliando se com Agnes MacBean que forneceu seus serviços financeiros. Jacob e Evie viajaram ainda mais para Southwark para encontrar Alexander Graham Bell, associado de Henry Green, para consertar o lançador de cordas quebrado e anexá-lo aos seus braceletes de Lâmina Escondida. Em troca de sua ajuda, Evie ajudou Bell na criação de uma linha telegráfica livre para as empresas que competem contra a Starrick Telegraph Company, através da instalação de novos fusíveis na Torre do Relógio do Palácio de Westminster, ao mesmo tempo, sugerindo que ele renomeie seu Telégrafo sonoro para ... Telefone. Voltando à carruagem de Bell, este mostrou a Evie suas bombas de fumaça e forneceu-lhe a fórmula. Evie então fez o seu caminho para uma fortaleza Blighter para pilhar componentes de metal e voltou para a oficina de Bell. Os gêmeos foram para o esconderijo onde foram recebidos por Ned Wynert, que lhes deu um cartão de visita. Os Assassinos começaram a planejar seu próximo passo, Evie focando em recuperar artefatos precursores. ]

Caçada pelos Pedaços do Éden Editar

O plano de Jacob para destruir os Templários era uma idéia impetuosa e imprudente, os irmãos estavam em desacordo. Eles se dirigiram para Alexander Graham Bell, que acrescentou um mecanismo de dardo para suas luvas. Ajudaram o inventor recuperando as linhas de cabo tomadas pelos Blighters no cais da faculdade, além de descobrir um embarque do veneno de Crawford Starrick. Os gêmeos decidiram recuperar um artefato dos carregamentos de Lucy Thorne. Quando Jacob eliminou os guardas, Evie procurou o baú e encontrou documentos e um livro com uma insígnia dos Assassino na capa. Infelizmente, mais Blighters vieram, forçando os gêmeos a pegar uma carruagem. Evie tomou a defesa enquanto Jacob tomava as rédeas. Em última instância, eles foram forçados a abandonar a carruagem, juntamente com os documentos, mas Evie conseguiu manter o livro Assassino. Depois de retornar ao esconderijo, Evie investigou o diário com Henry Green, encontrando um mapa oculto usando sua Visão Aquilina, que levou à mansão abandonada do ex-pirata e Assassino Edward Kenway (que havia falecido 133 anos antes... durante o século 18). Eles descobriram que Lucy Thorne e os Blighters tinham tomado o controle da mansão, o que os forçou a esgueirar-se para dentro e examinar as recordações de Kenway para pistas. Evie decifrou um código no piano que abriu uma escotilha no chão. Os Assassinos conseguiram recuperar documentos e um artefato antes que os Templários descobrissem a escotilha, escapando através de túneis abaixo da mansão. Continuando sua luta contra Starrick e seu controle da imprensa, Evie e Jacob retornaram ao laboratório de Bell onde este último lhes disse os esforços de Starrick de suborno para persuadir o inventor a seu lado. Isso o levou a inventar bombas voltaicas para atordoar agressores e ofereceu-os para os gêmeos com isoladores para proteger os assassinos de danos. Logo, os fanáticos enfurecidos chegaram; Eles tomaram isso como uma oportunidade para testar as bombas com Bell distraindo-os através de conversa.  Os gêmeos ajudaram ainda mais o inventor na estação de telégrafo para impedir que Starrick espalhasse informações falsas por toda Londres e mostrasse às pessoas a verdade sobre suas operações distraindo os guardas e defendendo Bell com sua arma recém-adquirida. Muito mais tarde, Evie visitou o asilo de Lambeth após Jacob ter assassinado o Dr. John Elliotson onde viu uma doente Clara O'Dea, que estava a procura da medicina para as crianças sob seu cuidado. No entanto, a garota desmaiou nos braços de Evie. Felizmente, a porta do hospital foi aberta por uma mulher que se identificou como Florence Nightingale, que pediu a Assassina para recuperar suprimentos para a cura. Evie continuou sua investigação, com os documentos que a levaram a um um quebra-cabeça na Catedral de São Paulo. Após resolver o enigma das engrenagens, ela descobriu um colar de precursor no alto da catedral. Infelizmente, Lucy Thorne chegou e as duas duelaram o que resultou em Thorne escapar com o colar.

Busca pelo Sudário Editar

Algum tempo após o assassinato de Pearl Attaway e o fechamento de sua companhia de ônibus (nesta época uma novidade, sendo que eram puxados por cavalos), Evie visitou Southwark, encontrando Edward Bayley sendo assediado pelos Blighters. Ela perseguiu os Blighters em uma carruagem enquanto defendia Bayley. O casal cavalgou para a antiga fábrica de ônibus de Attaway para roubar a ação e devolvê-la a Bayley, salvaguardando a família do empresário dos Templários. Agradecido ao sua salvadora, Bayley apresentou Evie aos fundadores da London General Omnibus Company (a principal operadora de ônibus de Londres, entre 1855 e 1933), notificando-a de seu esforço para fornecer os ônibus necessários para a cidade. Percebendo que seu irmão tinha causado mais problemas para os cidadãos com seus assassinatos, Evie alertou Jacob sobre as conseqüências de suas ações.


Muito mais tarde, Evie e Henry Green pesquisaram o colar precursor que Lucy Thorne havia roubado. Green comentou que combinava com o caixão de propriedade da Rainha Vitória mantido na Torre de Londres. Evie infiltrou-se na fortaleza, testemunhando os Blighters disfarçados tomando o lugar de guardas conscientes e procurando o caixão. Eventualmente, ela conseguiu assassinar Lucy Thorne que zombou dos Assassinos de não usar as capacidades dos artefatos precursores. Os guardas reais recuperaram eventualmente o controle, forçando os Blighters no combate e Evie para escapar em um barco no rio Tâmisa. Evie encontrou-se com Frederick Abberline, aprendendo com o sargento que as ações de Jacob causaram grande revolta nos cidadãos de Londres, apesar das advertências de Evie a seu irmão. Ela foi forçada a recuperar as placas de moeda, que Jacob foi acusado de roubar. Abberline também pediu a ela para destruir notas falsas enquanto ela estava nisso. Evie então parou a carruagem do falsificador e terminou o pedido de Abberline.  

Continuando sua busca, Evie e Henry se reuniram com o Príncipe Escorte Duleep Singh que poderia lhes dar vantagem sobre a localização da cripta do Sudário no Palácio de Buckingham. Duleep informou o par que seus planos foram removidos por Starrick, mas ele tinha a sua localização. Henry forneceu uma distração para Evie passar por cima dos guardas e recuperar os documentos. Ainda incapaz de encontrar os documentos, Evie sequestrou um guarda Templário só para descobrir que Henry tinha sido sequestrado.  Abandonando sua missão, Evie decidiu resgatar Henry. Alguns dos informantes de Clara O'Dea testemunharam seu seqüestro e disseram a Evie que seguisse as trilhas trêmulas da carruagem. Ela teve que entrevistar testemunhas para revelar a localização de Henry. Evie finalmente a seguiu pelos túneis abaixo da igreja e escoltou-a para escapar. Ela aconselhou seu companheiro assassino para deixar Florence Nightingale curar sua lesão na cabeça, enquanto ela contactou o Marajá novamente. Eventualmente, Evie ajudou seu irmão e os Rooks a tomar o controle dos bairros de Londres durante guerras de gangues contra os Blighters, eliminando seus líderes Templários Bloody Nora, Lilla Graves, Víctor Lynch, Octavia Plumb, Cletus Strain e Edith Swinebourne. 

Assassinando Crawford Starrick Editar

Com a maioria dos templários agora eliminados por Jacob, Starrick era a única ameaça a ser eliminada, Evie discutiu a situação do Sudário no palácio, apenas para encontrar Jacob desinteressado. Irritada, ela repreendeu seu irmão com seu planejamento imprudente e os erros que Evie foi forçada a consertar. Evie mencionou o pai dos dois, muito para a irritação de Jacob e os gêmeos argumentaram. Henry acalmou-os e notificou de um baile a ser realizado no palácio que Starrick estava planejando para entrar, roubar o Sudário e eliminando os chefes da igreja e do governo. 

Usando isso como uma oportunidade para recuperar o Pedaço de Éden, Evie e Jacob uniram forças e convidaram Benjamin e Mary Anne Disraeli, o primeiro-ministro e sua esposa, para seu esconderijo. Lá, eles expressaram sua necessidade de entrar no baile e se ofereceram para roubar os convites de Catherine e William Gladstone, que o casal aprovou com prazer. Enquanto Jacob recuperava os convites, Evie visitou o Marajá para um segundo conjunto de planos.  

Duleep Singh disse-lhe, no entanto, que ele tinha uma questão de urgência que exigiria sigilo e velocidade - adquirindo uma carruagem real para conduzir os políticos a seus destinos em troca da informação. Evie concordou quando Singh andou na carruagem e conversou com os políticos enquanto andavam em volta de Londres. Com o trabalho concluído, o Marajá contou-lhe sobre a localização dos planos com a Rainha.  

Os gêmeos conseguiram se infiltrarno baile usando a carruagem dos Gladstones e os convites. Evie então se dirigiu para localizar os planos em uma sala de estar branca. Devido às restrições de seu vestido, Evie foi forçada a seqüestrar um dos guardas reais para entrar na sala e roubar os planos. No caminho de volta para a festa, ela bateu em Mary Anne Disraeli que apresentou-a à Rainha, que sabia de seus negócios com Gladstone. Desculpando-se polidamente, Evie continuou seu caminho rumo à entrada da abóbada só para ser agarrada pelo próprio Crawford Starrick. O Grande Mestre dos Templários Britânicos ofereceu-lhe uma dança e disse-lhe que as pessoas nunca iriam mudar e que, logo que a dança terminassem, os atiradores que ele tinha posicionado acabariam com sua vida. Felizmente, Jacob veio em seu socorro, eliminando os atiradores com suas armas recuperadas. No entanto, Starrick conseguiu roubar o colar precursor de Evie.  

Depois de trocar de roupa, ela imediatamente correu em direção ao cofre para salvar Jacob das mãos de Starrick. No entanto, Starrick tinha ativado o mecanismo de defesa do precursor do cofre que deixou Jacob esticado ao chão. Evie lutou contra o Templário numa luta um a um, mas o Sudário impediu-a de desferir muito dano, pois este curava as feridas de Crawford. Crawford agarrou Evie pelo pescoço mas foi parado por Jacob. Depois de trocar mais golpes com Starrick, os dois ficaram presos. Felizmente, Henry Green chegou, atirando uma faca no Templário. Juntando-se à luta, Henry também foi derrubado pelo Templário. Evie e Jacob juntaram forças para remover o Sudário e eventualmente assassinar Starrick.  

Trabalhando juntos, o abismo entre os gêmeos desapareceu. Quando Jacob retornou o Sudário, Evie ajudou Henry e os dois Assassinos compartilharam um beijo. Pouco tempo depois, os três assassinos se encontraram com a Rainha Victoria, que era grata a seus salvadores. Ela os nomeou para sua Ordem da Jarreteira Sagrada e prometeu convocá-los para mais trabalho no futuro. Os gêmeos então correram para seu esconderijo, deixando Henry para trás.  

Perseguindo Jack o Estripador Editar

Depois da derrota de Crawford Starrick, Evie e Jacob continuaram operando em Londres com os irmãos terminando seu relacionamento com a rainha Vitória para evitar ajudar os interesses imperiais britânicos. No entanto, depois de seu noivado com Henry, Evie eventualmente mudou-se para a Índia e tornou-se afiliada com os Assassinos Indianos. Apesar de sua ausência, Londres desfrutou de vinte anos de paz e estabilidade.

Vinte anos depois, em 1888, no entanto, Evie foi convocada por Jacob após os assassinatos de Whitechapel. Depois de retornar a Londres, ela se encontrou com o inspetor Frederick Abberline, que a informou sobre o assassino em série Jack, o Estripador e informou que Jacob estava longe de ser encontrado. Seguiu então o inspector à cena do assassinato da primeira vítima do estripador, Mary Ann Nichols. Abberline informou que a mulher assassinada não era a Mary Ann Nichols que ele conhecia. Após a inspeção, Evie encontrou um anel de Assassino e deduziu que a vítima era uma Assassina disfarçada.

Tendo sido avisado por Abberline, Evie foi investigar os alojamentos de Jacob em Whitechapel, na esperança de descobrir uma pista sobre onde o Estripador estava. Lá, ela encontrou uma das cartas do Estripador, uma fotografia dela, Jacob, Henry e um iniciado apelidado de "Jack o Menino" na Índia, e uma carta para ela escondida sob uma estatueta da deusa Kali. Depois de ler a carta de Jacob, Evie procurou a prostituta Nellie, que tinha sido escoltada para a Mansão Kenway onde Lady Olwyn Owers estava dando um discurso. Ela falou com Nellie e soube que matar Lady Owers era necessário para encontrar Jacob. Evie então perseguiu uma carruagem que se pensava ter sido ocupada por Lady Owers, e ao seqüestrar, percebeu Nellie estava dentro. Nellie então contou a Evie que Lady Owers tinha fugido para sua mansão a noroeste de Londres.

Evie se infiltrou na mansão e assassinou Lady Owers, obtendo uma fotografia com indivíduos arranhados, exceto por Arthur Weaversbrook. Evie concluiu que Weaversbrook seria seqüestrado e retorna a Londres para salvá-lo. Ela se encontrou com Abberline para descobrir através de um jornal que ela tinha sido acusada de um massacre em Owers Manor que teve lugar pouco depois de sua partida. Ela então encontrou e interceptou um tenso Weaversbrook perto de St. Paul's, que informou que o Estripador levou seu filho e a levou para a última localização do jovem Weaversbrook perto das docas. Depois de resgatar o filho de Weaversbrook, Evie soube que Jack estava mantendo outros reféns em velhos navios de prisão e uma guarnição abandonada em Deptford.

Viajando rio abaixo às docas de Deptford, Evie questionou os reféns encontrados nos navios da prisão, que disseram aqui que estavam sendo forçados a escrever letras às suas famílias com demandas do estripador. Ela então decidiu assassinar o guarda-chefe John Billingsworth da guarnição próxima. Fatalmente ferido logo depois, um moribundo Billingsworth informou Evie da tutela de Jack por Jacob. Ela então telefonou para o Serviço de Polícia Metropolitana, que informou que Jack havia atacado novamente e pediu que enviassem homens para as docas para libertar os reféns.


Logo após seu retorno à cidade, Evie se reuniu com o Inspetor Abberline e seus oficiais na cena do assassinato de Mary Kelly. Através de uma investigação mais aprofundada, Evie foi capaz de encontrar uma mensagem deixada para ela por Jack, que pretendia levá-la para as cenas de suas primeiras vítimas. Nas cenas de assassinato de Annie Chapman e Catherine Eddowes e Elizabeth Stride, Evie descobriu os seus arremessados ​​anéis de Assassinas e, na última cena, outra mensagem de Jack, que por sua vez a levou à cena do assassinato de sua mãe. Lá, ela foi pega de surpresa por uma inesperada bomba de medo, que provocou alucinações em sua mente. Uma vez que as alucinações desapareceram, Evie chegou à conclusão de que Jack estava no Asilo de Lambeth.


Com os pacientes do Asilo de Lambeth libertados, Evie deslocou-se por uma multidão de lunáticos sem ser detectada e fez o seu caminho para a área mais baixa do manicômio. Tendo encontrado um Jacob fortemente ferido aprisionado em uma cela, ela primeiro entrou no porão para enfrentar Jack. Inicialmente incapaz de enfrentar Jack em combate direto, Evie usou furtividade e astúcia para emboscar Jack até que finalmente pegou seu punhal e, com uma descarga de cortes e facadas, trouxe um fim à vida do Estripador. Depois disso, ela voltou para seu irmão quase inconsciente e foi recebida pelo Inspetor Abberline, com repórteres no reboque. A fim de proteger a Irmandade, Evie pediu a Abberline para manter a morte e a identidade de Jack em segredo, não querendo que o público soubesse da lealdade do Estripador a Ordem dos Assassinos.


Vida posterior Editar

Eventualmente, Evie tornou-se a tia-avó da neto de Jacob, Lydia Frye. A responsabilidade pelo treinamento da jovem Frye caiu para Evie e seu irmão.

No início da guerra em 1914, Jacob e Evie foram removidos para a segurança do campo, enquanto Lydia permaneceu em Londres para proteger a cidade de espiões alemães e agentes Templários. 

Personalidade e caracterís​ticas Editar

"Para cada missão, há um jeito certo e um jeito errado. 
-Evie Frye.

Um verdadeira estrategista e crente firme nos ensinamentos da Irmandade, Evie tomou as lições de seu pai de forma que seu irmão não o fez, sendo mais estudiosa e mais interessada ​​no folclore e história dos Assassinos. Ela planejava suas missões com cuidado e paciência, considerando todos os ângulos para garantir a melhor chance de sucesso. Às vezes, isso funcionava contra ela, pois demorava para agir, embora não menos letal.

Por outro lado, seu irmão Jacob era muito mais rápido para entrar em ação, mas seus planos não tinham  premeditação suficiente como resultado. Na maioria das vezees os gêmeos entravam frequentemente em desacordo, suas motivações eram as mesmas, e os dois sempre se tornavam mais eficazes quando trabalhavam juntos.

Equipamentos e habilidadesEditar

"Um verdadeiro mestre da dissimulação pode integrar qualquer ambiente."
-Evie Frye.

Uma assassina proficiente com a Hidden Blade, Evie foi capaz de assassinar seus alvos habilmente e furtivamente. Ela se destacou em mascarar sua presença, a tal ponto que os guardas foram incapazes de percebe-la.

Como o porte de armas abertamente era proibido na época, ela contou com um arsenal de ferramentas ocultas, muito parecido com seu irmão. Evie era capaz de usar uma espada, uma Kukri, armas de fogosoqueirasfacas de arremessobombas de fumaça e bombas solares, que solta uma explosão de energia elétrica no momento do impacto. Sua Hidden Blade também foi equipada com um lançador de corda, permitindo-lhe escalar prédios rapidamente, bem como criar tirolesas, e pode disparar dardos alucinógenos.

Enquanto seu irmão especializados em armamento brutal e especialista em armas de fogo, a natureza furtiva de Evie a levou a preferir ferramentas mais sutis como a cana-de-espada e facas. Ela foi especialmente proficiente com este último, ser capaz de transportar uma quantidade maior e atingir alvos em um alcance maior do que seu irmão.

Ela também foi uma hábil freerunner e possuía a rara capacidade de Visão de Águia.

CuriosidadesEditar

  • O nome de Evie é de origem bíblica, sendo uma forma alternativa de Eva, que significa vida. Frye é um derivado da palavra Inglês livre.
  • Evie é a primeira personagem feminina jogável na série principal de Assassin's Creed, tendo sido precedida por Aveline de Grandpré e Shao Jun, ambas de jogos spin-offs.

GaleriaEditar

ReferênciasEditar

LogobrancodoAnimus Uma galeria de imagens está disponível para
Evie Frye

Predefinição:JOE

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória