FANDOM


Íconedeera-AC4Íconedeera-MemoriesÍconedeera-SyndicateÍconedeera-RenegadoÍconedeera-Bandeira NegraÍconedeera-Assassinos

PL Treasure HunterHQ Aquele que aumenta em conhecimento, aumenta em tristeza.

Este artigo contém spoilers, o que significa que tem informações e fatos a respeito de lançamentos recentes ou futuros da série Assassin's Creed.
Se você não quiser saber sobre esses eventos, é recomendável ler com cuidado, ou não tudo.

PL ArtisanHQ Paciência, irmãos. Em breve iremos revelar os segredos do romance Assassin's Creed: Bandeira Negra e O Diário Perdido.

Este artigo foi identificado como sendo desatualizado. Por favor, atualize o artigo para refletir lançamentos recentes e, em seguida, remova esta predefinição, uma vez feito.

Edward Kenway
Render de Edward
Informações biológicas
Nasceu em

10 de março de 1693[1]
Swansea, Wales, Reino da Inglaterra

Morreu em

3 de dezembro de 1735 (aos 42 anos)[2]
Londres, Reino da Grã-Bretanha

Informações políticas
Afiliações

Tripulação do Emperor (1712 – 1713)
Tripulação do Sea Dog's Bite (1713 – 1714)
República Pirata (1713 – 1718)
Tripulação do Gralha (1715 – 1723)
Assassinos (1721 – morte)

Informações do mundo real
Aparece em

Assassin's Creed: Renegado
Assassin's Creed IV: Black Flag
Assassin's Creed: Bandeira Negra
Assassin's Creed: Memories

Dublador

Matt Ryan (inglês)
Acácio Oliveira (português)

"Por anos andei de um lado para o outro, tomando o que desejava, sem me importar um mínimo com quem feria. Ainda assim, cá estou eu, com dinheiro e reputação... mas não mais sábio do que quando saí de casa. Mas quando me viro para ver o caminho que percorri... não há um homem ou mulher sequer que amei ao meu lado."
―Edward Kenway, refletindo sobre sua vida sem propósito antes de juntar-se aos Assassinos. 1721.[src]

Edward James Kenway (1693 – 1735) foi um corsário e depois pirata britânico, nascido no País de Gales, e um membro da Irmandade Caribenha e Irmandade Britânica de Assassinos.

O filho de fazendeiros pobres, Edward desenvolveu uma ambição por riqueza e buscou a aquisição desta através de uma vida no mar. Ele tornou-se um corsário pela Marinha Real em sua juventude, e ficou ativo nas Índias Ocidentais, onde fez amizade com vários outros corsários notáveis. Contudo, o fim da Guerra da Sucessão Espanhola e o abuso dos oficiais importantes fizeram Edward e inúmeros outros corsários abandonarem a legalidade e virarem piratas.

No meio de sua busca por riqueza, ele matou Duncan Walpole, um Assassino britânico que buscava desertar aos Templários, e sem saber da existência das duas ordens, tomou as vestes de Walpole para ganhar uma recompensa dos Templários que aguardavam-no. Embora de início seu disfarce tenha funcionado, Edward foi descoberto e envolveu-se na guerra secreta entre os Assassinos e Templários, ao mesmo tempo que capitaneou seu próprio navio, o Gralha, e ajudou os esforços dos piratas em estabelecer uma república própria em Nassau.

Ele descobriu, através dos Templários, da existência do Observatório, um mecanismo da Primeira Civilização que prometia riquezas intermináveis. O conflito interno que ele sofreu entre sua sede pelo Observatório, seu relacionamento com seus amigos e sua conexão aos Assassinos fizeram Edward sofrer muita pressão em sua busca pela riqueza. Em meio à tudo isto, ele perdeu quase todos seus amigos próximos, e a sua esposa, Caroline, que morreu após dar a luz a filha que Edward nem sabia que existia.

Nessa jornada trágica, ele percebeu a tolice e insensatez que foi sua busca pela glória, e desenvolveu sua personalidade de um canalha ganancioso a um soldado sábio, tendo juntado-se aos Assassinos caribenhos para redimir-se e consertar os erros que causou. Destruindo a influência Templária na região e impedindo o egocêntrico Bartholomew Roberts de tomar o Observatório, Edward deu a localização do mecanismo aos Assassinos para mantê-lo seguro das mãos erradas.

Após passar quase uma década no Caribe, Edward conheceu sua filha, Jenny, e os dois retornaram à Inglaterra juntos, onde Edward recebeu um perdão de Robert Walpole e adquiriu uma propriedade e negócios comerciais. Lá, ele juntou-se aos Assassinos britânicos, rapidamente subindo ao cargo de Mestre Assassino e tornando-se um dos líderes da Irmandade. Ele também se casou com Tessa Stephenson-Oakley, e teve um filho, Haytham.

Como Assassino, Edward desenvolveu uma pesquisa sobre a Primeira Civilização e seus artefatos, mantendo seu progresso escrito em um diário pessoal. Em 1735, ele foi traído por um de seus aliados, Reginald Birch, que era secretamente o Grão-Mestre dos Templários britânicos, e morto por agentes do mesmo. Seu diário foi tomado por Birch, que também enganou Haytham e o iniciou na Ordem dos Templários.

Ele é um ancestral de William e Desmond Miles, e o pai de Haytham e avô de Ratonhnhaké:ton.

Biografia

Início da vida

Origem

Edward nasceu em 1693 em Swansea, no País de Gales, como o filho dos fazendeiros Bernard e Linette Kenway. Entretanto, quando Edward tinha apenas 10 anos, eles se mudaram para a cidade portuária de Bristol, em busca de oportunidades melhores de vida. Lá, eles estabeleceram uma fazenda considerável de ovelhas, mas ainda eram muito mais pobres que a burguesia comercial da cidade.

A vida de pastor não se identificou com Edward, e ele passou a ser um encrenqueiro conhecido em sua juventude, presente nas tavernas e suas brigas. Insatisfeito com sua vida humilde, Edward começou a desenvolver uma ambição que iria se intensificar mais tarde.

Conhecendo Caroline

Em 1710, aos 17 anos, Edward estava na taverna Auld Shillelagh quando viu seus maiores inimigos, Tom e Seth Cobleigh, abusando uma mulher chamada Rose. Ao ver isso, Edward imediatamente tentou defender Rose, mas não teve chance contra a força em conjunto dos Cobleighs e do sócio deles, Julian.

Nesse momento, uma jovem de classe alta, Caroline Scott, viu a cena e mandou os agressores pararem de espancar Edward, e eles obedeceram pois conheciam o pai influente dela, Emmett Scott. Admirando a coragem de Edward em defender Rose, que era uma serva dela, Caroline ajudou-o a levantar, mas recusou o pedido dele de se encontrarem depois, pois ela estava prometida a Matthew Hague, o filho de um membro influente da Companhia das Índias Orientais, Aubrey Hague.

Mesmo com as diferenças sociais entre eles, Edward decidiu perseguir seu amor por Caroline, e pagou um pivete chamado Albert para que ele entregasse um buquê de flores a Caroline. Ele percebeu tarde demais que Albert era um batedor de carteiras, e não conseguiu impedi-lo de furtar a bolsa de Caroline. Entretanto, o guarda-costas musculoso de Hague, Wilson, viu Albert e começou a espancar o garoto.

Vendo isso, Edward impediu Wilson e convenceu Albert a devolver a bolsa e pedir desculpas a Caroline. Ela ficou impressionada novamente com a coragem de Edward, e concordou em encontrá-lo à noite. Os dois então partiram em um passeio noturno, onde Caroline desabafou que desprezava a vida que teria que levar após se casar com Hague e o fato que o pai dela e a sociedade não aprovariam de qualquer tipo de relacionamento entre ela e Edward.

De qualquer maneira, os dois secretamente iniciaram um relacionamento amoroso.

Casamento e problemas familiares

"Eu quero comida que não me adoeça. Quero paredes que segurem o vento. Quero uma vida decente."
―Edward a Caroline sobre sua insatisfação com a atual vida deles.[src]

Em 1712, mesmo sabendo da fúria do pai de Caroline, o casal decidiu assumir o relacionamento e se casaram no mesmo ano. Emmett imediatamente abandonou sua filha sem nem dar qualquer espécie de dote monetário. Edward e Caroline então foram viver na fazenda Kenway, onde os pais de Edward rapidamente gostaram de Caroline e da personalidade distinta dela, que não parecia em nada com outras endinheiradas.

Infelizmente, Edward começou a sentir-se mal por não poder providenciar uma vida confortável a Caroline, que já estava acostumando-se com a vida camponesa. Ele também desenvolveu sua ambição e sede de riquezas, e começou a frequentar novamente as tavernas da área. Ele também começou a sonhar com uma vida de corsário, ganhando riquezas inestimáveis através de saques marítimos e pilhagens impiedosas.

Durante uma certa noite de bebedeira, Edward foi confrontado na taverna por Emmett, que ofereceu uma vasta quantia monetária a Edward em troca do divórcio dele com Caroline. Edward, de tão embriagado, desmaiou na frente de Emmett antes de puder responder. O homem então arrastou Edward até a fazenda e jogou-o nos pés de Caroline, para mostrar a qualidade dele como marido, antes de partir grosseiramente.

No dia seguinte, Edward decidiu fazer algo de útil e foi visitar Emmett, recusando a oferta anterior mas propondo outra. Ele disse que ele iria partir para o Caribe e tornar-se um corsário, e retornaria apenas se possuísse grandes riquezas. Ele então apontou que as chances dele morrer no mar eram altas, e que se ele voltasse endinheirado, não haveria problema social. Emmett aceitou rapidamente a oferta, e quando Edward deu as novas a Caroline, ela furiosamente retornou à casa dos pais.

Zarpando ao mar

Enquanto Edward estava prestes a partir ao mar, Emmett enviou os Cobleighs e Julian à fazenda dos Kenways para incendiá-la e prevenir qualquer atitude de Caroline que envolvesse retorno à fazenda. Edward conseguiu alertar os pais do incêndio pois o navio havia atrasado, e então foi atrás dos arsonistas, apenas para ser incapacitado por Wilson, que disse que os pais de Edward não seriam incomodados se Edward cumprisse sua parte do acordo.

Mesmo tendo salvado seus pais do incêndio, o pai de Edward renegou ele como filho, declarando raivosamente que ele nos anos recentes, tudo que ele fez foi trazer problemas. Inconsolado, Edward foi atrás dos Cobleighs e de Julian, que estavam em uma taverna, e tomou uma espada longa da parede e empalou Julian com ela. Ele então superou Tom, mas antes que pudesse interrogá-lo, Tom foi executado por Wilson, que então nocauteou Edward.

Edward acordou dentro do Emperor, o navio corsário que ele havia se alistado.

Primeiros anos no mar

Na tripulação do Emperor

Como parte da tripulação do Emperor, Edward era às vezes zoado por marinheiros mais experientes e fortes, especialmente o brutamontes Blaney. Edward foi inicialmente assediado por ele, para provar sua autoridade, e veio a ser odiado por Blaney pois ele não tinha medo das ameaças de Blaney.

O capitão do Emperor, Alexander Dolzell, previu que a Guerra da Sucessão Espanhola iria chegar a um fim próximo e que corsários não seriam mais tolerados pelas autoridades europeias. Dolzell anunciou que ele iria fazer do Emperor um navio pirata, mas disse que os marinheiros que não quisessem seguir-o seriam escoltados para a cidade mais próxima.

Edward não tinha planos de tornar-se um pirata, e estava prestes a dizer ao capitão sobre isso, mas foi impedido por Friday, um marinheiro mais amigável. Eles então viram Dolzell reunir todos que não queriam continuar no navio e em seguida, atirá-los ao mar. Edward relutantemente permaneceu no navio, e seguiu os conselhos de Friday, que serviu como seu primeiro mentor.

Em 1713, Edward participou no ataque ao navio britânico Amazon Galley, e foi atarefado, junto com Blaney, de vigiar o capitão do navio, Benjamin Pritchard. Edward notou que o anel que Pritchard usava era igual ao que Wilson usava, contendo uma cruz vermelha. Pritchard ofereceu respostas a Edward em troca de segurança, mas ele foi executado por Dolzell pouco tempo depois.

Na tripulação de Thatch

Ao mesmo tempo, o corsário Edward Thatch e seu navio Sea Dog's Bite vieram resgatar o Amazon Galley, ainda leais à coroa britânica. Vendo que eles estavam superados pela tripulação de Thatch, Blaney decidiu amotinar-se, e matou o imediato Trafford e então foi pra cima de Edward. Entretanto, Thatch gostou de Edward, e propôs uma briga entre Edward e Blaney, e o vencedor juntaria-se à tripulação dele.

Enquanto Blaney era muito maior que Edward, ele era muito mais lento, e por isso Edward conseguiu dar vários socos bem-posicionados no adversário. Furioso, Blaney revelou uma navalha e tentou matar Edward com ela, mas foi alvejado por Thatch por ter quebrado as regras da briga. Edward então juntou-se à tripulação de Thatch, que ainda eram corsários.

Thatch tornou-se um mentor a Edward, ensinando-o a usar uma espada e pistola com sucesso, além de mostrá-lo o básico sobre como usar o timão do navio e os canhões. Ele conheceu vários outros corsários que tornaram-se seus amigos, tendo como mentor Benjamin Hornigold também. Eles saquearam navios inimigos ao longo da costa da Jamaica por vários meses até que o Tratado de Utrecht pôs um fim à guerra. [3]

Na tripulação do Jacobino

O fim da guerra fez com que corsários não fossem mais necessitados pelas marinhas europeias, e eles foram consequentemente desempregados. Edward ainda não havia conseguido o saque suficiente para retornar a Bristol, e como tantos outros corsários, teve que tornar-se um pirata para sobreviver.

Ele então juntou-se à tripulação do Jacobino, um brigue capitaneado por Abel Bramah, mesmo com o conselho de Thatch de não juntar-se a Bramah, que era considerado um homem cruel e covarde. Edward conseguiu sobreviver sob Bramah, mas cresceu um desgosto pelo capitão, que gostava de ilhar marinheiros em ilhas desertas como diversão.

No início de 1715, o Jacobino entrou em combate com o HMS Intriga, uma fragata britânica que provou ser mais forte que seu adversário. O timoneiro Hughes foi morto em uma saraivada do Intriga, e Edward teve que assumir o controle do navio, e por sorte, um relâmpago atingiu o Intriga, dando a Edward a oportunidade de bombardear o Intriga com uma saraivada devastadora.

O navio inimigo então afundou, mas a saraivada anterior dele havia acendido a pólvora no porão do Jacobino. Bramah covardemente empurrou Edward e outros marinheiros, mandando-os apagar a pólvora, até ser morto por trás por um indivíduo encapuzado, que então se preparou para matar Edward. De repente, a pólvora explodindo, mandando Edward e o encapuzado pelos ares e aterrissando no oceano.

Descobrindo os Templários

Edward conseguiu nadar até a praia mais próxima, e ficou naufragado no Cabo Bonavista. Ele então viu o outro sobrevivente, o indivíduo encapuzado que revelou ser Duncan Walpole, e ofereceu dinheiro a Edward em troca de transporte para Havana, pois estava muito ferido devido à explosão do navio.

Interessado, Edward se aproximou de Walpole, mas o homem ficou paranoico e puxou uma pistola, mas ela não funcionou pois a pólvora estava molhada. Edward então perseguiu Walpole pelas selvas, conseguindo encurralá-lo em um penhasco e facilmente matando o homem ferido.

Edward então procurou por valiosos no cadáver de Walpole, encontrando uma carta do Governador Laureano de Torres y Ayala, de Cuba, que detalhava o plano de Walpole de desertar os Assassinos e juntar-se aos Templários, reconhecendo a cruz vermelha como o mesmo simbolo nos anéis de Wilson e Pritchard. Sem saber das verdadeiras intenções de Torres e do que ele estava falando, Edward pensou que receberia uma recompensa gorda e que aprenderia sobre tesouros ocultos, e então colocou as vestes de Walpole para passar-se por ele.

Na ilha, ele encontrou o mercador Stede Bonnet sendo mantido refém por soldados britânicos ilhados, e então salvou Bonnet dos mesmos e convenceu-o a levá-lo a Havana, dizendo que ele estava em uma missão real diplomática.[4]. Chegando em Havana, os dois foram para uma taverna, onde um contato de Bonnet estava, mas Edward foi agredido por um grupo de rufiões e ao defender-se, atraiu a atenção dos guardas.[5]

Os guardas confiscaram o carregamento de Bonnet, incluindo o pacote destinado a Torres e duas caixas de açúcar, e levaram-o até o Castillo de San Salvador de la Punta, o forte espanhol da cidade. Edward teve que roubar a chave do Capitão Mendonza, e no processo testemunhou o enforcamento de alguns dos sobreviventes do ataque no Cabo Bonavista. Ele então infiltrou-se no forte e recuperou o pacote de Torres, mas foi forçado a deixar o açúcar de Bonnet lá, pois não tinha a capacidade de carregá-lo para fora sem ser notado.[6]

No dia seguinte, Edward se dirigiu ao castelo do Governador para apresentar-se a Torres. Ele cuidadosamente manteve seu disfarce, falando com os Templários Woodes Rogers e Julien du Casse no processo e vencendo uma competição de disparos contra Rogers. Du Casse também deu a Edward um par de Lâminas Ocultas, e Edward rapidamente justificou a ausência da sua por ela estar "quebrada". Du Casse então pediu a Edward a demonstração de algumas técnicas dos Assassinos, e Edward primeiro viu as dicas que os dois deixaram, e então conseguiu demonstrar os movimentos com exatidão relativa.

Os três então foram falar com Torres quando ele finalmente chegou, e Rogers, du Casse e "Walpole" foram induzidos oficialmente na Ordem dos Templários. Torres então descreveu o plano dele de localizar um mecanismo da Primeira Civilização, conhecido como "o Observatório", que seria capaz de mostrar a visão de uma pessoa se uma amostra do sangue da mesma fosse obtida. Não interessado nos planos da Ordem, Edward aproveitou a distração de Torres para furtar os bens valiosos nos bolsos dos homens presentes.[7]

Torres, Rogers, du Casse e "Walpole" então foram para as docas da cidade, com o objetivo de interrogar Bartholomew Roberts, um homem que eles conheciam como "o Sábio" que possuía conhecimento da localização e uso do Observatório. Não obtendo sucesso em interrogar Roberts, eles foram emboscados por um grupo de Assassinos, mas conseguiram defenderem-se. Torres então deu 1000 reales a "Walpole", prometendo uma recompensa gorda se ele continuasse com eles.[8]

Edward depois se reuniu com Bonnet, e admitiu que ele não estava satisfeito com o pagamento, pois reales eram convertidos em uma quantidade muito menor de libras. Ele decidiu que os Templários não seriam seu caminho à riqueza, e concluiu que encontrar o Observatório e vendê-lo para o maior comprador seria mais lucrativo. Ele então infiltrou-se na prisão onde Roberts estava sendo mantido, mas ao chegar na cela do mesmo, viu que ele havia fugido, e logo em seguida, foi confrontado pelos Templários, que haviam descoberto seu disfarce.

Furioso com Edward por ter tirado Walpole deles, Torres o colocou no porão de um navio na Frota do Tesouro Espanhola que estavam navegando a Sevilha, com o objetivo de entregar Edward ao Rito Espanhol.[9]

Pirataria

Adquirindo o Gralha

No porão de um navio da Frota do Tesouro, Edward ficou aprisionado ao lado de um afro-descendente, Adéwalé, e os dois usaram sua força em conjunto para quebrar o ferro que os segurava. Os dois então libertaram vários outros marinheiros aprisionados, e capturaram um brigue chamado El Dorado da frota, fugindo no meio de uma tempestade maligna que destroçou a frota.[10]

Edward decidiu tomar o El Dorado para si mesmo, e renomeou-o Gralha, uma ave graciosa e veloz. Como gratidão a Adéwalé, Edward também nomeou-o seu quartel-mestre imediato, e Adéwalé aceitou, pois sabia que sua pele negra prevenia-o de tornar-se capitão devido aos pensamentos de alguns marinheiros. A tripulação estava feliz e com vontade de seguir Edward, mas precisavam de suprimentos.

Antes de aportar, Edward navegou até a Ilha Ábaco, onde ele caçou algumas iguanas e jaguatiricas, fazendo um coldre extra de pistola e alguns suprimentos para a tripulação. Ele também fez várias modificações às vestes que adquiriu de Walpole, adicionando placas de madeira para reforçar a armadura, tecidos, coldres e algibeiras.[11]

Chegada em Nassau

Edward e o Gralha então navegaram a Nassau, uma cidade na Ilha de Nova Providência dominada por piratas que servia como o refúgio principal deles. Lá, ele reencontrou Ed Thatch, Ben Hornigold e James Kidd, que também haviam tornado-se piratas. Edward então revelou o brigue que capturou aos seus amigos, e eles decidiram ensinar Edward sobre a vida de pirataria no oceano.

Primeiramente, Edward libertou alguns piratas capturados de soldados britânicos, e recrutou-os para a tripulação do Gralha[12]. Após isso, ele e Hornigold zarparam ao mar e saquearam várias escunas vulneráveis, e então venderam o rum e açúcar adquiridos em uma capitania do porto para comprar um mastro reforçado ao Gralha. Edward também aprendeu como abaixar seu nível de procurado de caçadores de piratas através do suborno de Oficiais.[13]

Depois, Edward foi falar com Kidd, pois haviam rumores de que ele estava planejando um assalto a uma plantação de açúcar. Encontrando-o, Edward explicou (ao ser questionado) como ele adquiriu as vestes que ele estava usando, e Kidd então informou-o que o riquíssimo latifundiário Peter Beckford possuía uma plantação de açúcar nas proximidades, e que havia um agente dele em Nassau. Edward então seguiu o agente até a Ilha Cat, e roubou os conteúdos do armazém da plantação para vendê-los por um alto preço.[14]

Após todos esses assaltos lucrativos, Thatch contatou Edward, falando que Nassau precisava de defesas apropriadas no caso de um ataque britânico ou espanhol. Ele então sugeriu que eles roubassem um galeão espanhol, A Arca do Mestre. Edward, junto com Thatch, seguiu o galeão à noite, e eles viram Charles Vane e alguns navios atacarem o galeão, e serem quase destroçados pelo mesmo. Eles então viram que o galeão havia aportado em Grande Inagua, uma ilha próxima, e Thatch disse que um capitão francês chamado Du Casse era o governador da ilha.[15]

Sabendo que du Casse, um dos Templários de Havana, pode ter tido reconhecido o Gralha e consequentemente descoberta da fuga dele, Edward decidiu assassiná-lo para amarrar pontas soltas, conseguir os canhões e tomar a ilha.

Assassinando Julien du Casse

"Um simples furto é o limite da tua ambição? Tua mente não é capaz de compreender a extensão da nossa? Todos os impérios da Terra, abolidos! Um mundo livre e aberto, sem parasitas como tu! Que o inferno que encontrares seja do teu próprio feitio."
―As últimas palavras de Julien du Casse.[src]

Edward parou o Gralha na costa de Grande Inagua, e deu um discurso à tripulação, declarando que "nós não pulamos de cabeça no fogo sob as ordens de um 'único louco', mas agimos de acordo com nossa 'loucura coletiva'". Toda a tripulação concordou em tomar a enseada e matar du Casse, e Edward então adentrou a selva, para fazer um caminho indireto ao seu alvo.

Atravessando a selva sem ser percebido pelos soldados espanhóis ali postos, Edward chegou na enseada, onde viu uma pequena vila em condições precárias, provavelmente abusada por du Casse e seus homens, e um galeão que reconheceu como A Arca do Mestre. Ele conseguiu infiltrar-se no galeão e observou du Casse de cima, vendo que o capitão estava preparando-se para deixar a enseada e estava gritando ordens à tripulação.

Edward então saltou sobre o seu alvo, e então esfaqueou-o fatalmente com a Lâmina Oculta. Nos seus últimos momentos, du Casse admitiu que tem pena de Edward, dizendo que após tudo que eles lhe mostraram sobre a Ordem e seus ideais, ele ainda prefere a vida de um bandido ignorante e sem rumo. Du Casse então disse que os objetivos dele e dos Templários estão muito além de furto e saques, e que eles buscam um mundo livre e aberto, sem parasitas como Edward. O Templário francês então sucumbiu aos seus ferimentos, e Edward recuperou uma chave estranha do pescoço de seu alvo.[16]

Outras atividades

A partir de sua chegada em Nassau, Edward começou a realizar diversas atividades menores para aumentar seu lucro e diminuir a influência dos Templários e das autoridades europeias no Caribe. Ele começou a desenvolver o Gralha, e com o passar dos anos, fez-a tornar-se uma fortaleza marítima imbatível, com mais de 20 canhões, um canhão giratório semi-automático, morteiros destroçadores, um grande aríete dourado e um mastro quase impenetrável.

Usando seu navio, Edward conquistou onze fortes navais dominados pelos britânicos ou espanhóis, que foram então habitados por piratas, bucaneiros ou apenas comerciantes e civis comuns. Ele também completou vários contratos navais para o comerciante holandês Milo van der Graaff, e adquiriu as Espadas-Pistolas e Pederneiras douradas, duas das armas mais formidáveis do oceano.

Além disso, Edward continuou saqueando plantações de açúcar, a maioria pertencente a Beckford, e invadindo covis de contrabandistas espalhados pelo Caribe. Ele também explorou naufrágios, a maioria de navios da Frota do Tesouro afundada, e recuperou os tesouros e diagramas presentes.

Edward também iniciou uma operação de negócios de contrato e comércio, através de sua frota pessoal, composta de navios capturados durante suas aventuras.

Ajudando os Assassinos

Explorando Grande Inagua

Após o assassinato de du Casse e a aquisição de Grande Inagua e das armas para Nassau, Edward decidiu usar a ilha como seu esconderijo e quartel-general, usando parte do dinheiro obtido em saques para renovar uma taverna, uma loja geral, uma capitania do porto, um bordel, um acampamento e a mansão.

Em março de 1716, Edward foi visitado por Kidd, que havia descoberto algumas ruínas maias na selva. Lá, Kidd mostrou Edward como usar um dom raro possuído por ele, a Visão de Águia, e Edward usou-o para localizar uma estrela maia misteriosa. Os dois então encontraram uma caverna na selva, repleta de baús e artefatos, que possuía uma escadaria que levava à mansão.

Ao chegar no porão da mansão, eles descobriram uma jaula onde um esqueleto pendurado possuía um conjunto leve e resistente de armadura, selado por 5 chaves. Uma das chaves era carregada por du Casse, e as outras, de acordo com Kidd, eram carregadas por outros quatro Templários cuja localização era indicada no mapa de du Casse, que Edward reconheceu como o mesmo mapa que ele vendeu a Torres. Kidd disse que os alvos deste mapa mereciam ser avisados, e Edward concordou.

Kidd então se preparou para deixar a enseada, dizendo que o traje que Edward vestia não identificava-se com a personalidade dele, e disse para Edward se reunir com ele em uma parte da Península de Iucatã, Tulum, nos dias seguintes, onde teria algo para mostrar.[17]

Descoberta em Tulum

Ao chegar em Tulum, Edward viu que o local estava repleto de indivíduos vestidos de maneira similar a ele e aos homens que emboscaram os Templários em Havana, os Assassinos. Sabendo que sua presença não era bem-vinda, Edward se esgueirou furtivamente pela base de Assassinos, até encontrar Kidd perto de uma porta antiga.

Lá, Kidd introduziu Edward a Ah Tabai, o Mentor da Irmandade Caribenha, que não estava nada contente com o que Edward havia feito em Havana. Embora estivesse grato pela morte de Walpole, mas estava furioso com Edward pois ele deu mapas com as sucursais dos Assassinos no Caribe aos Templários.[18]

Ah Tabai então perguntou se Edward havia visto o Sábio, e quando Edward respondeu que sim, Ah Tabai mandou ele acompanhar Kidd ao Templo de Tulum. Ao desceram ao subterrâneo, Kidd explicou parte da filosofia dos Assassinos, mas disse que cada um tem sua própria compreensão e reflexão do Credo.

No Templo, eles resolveram uma charada que revelou um busto enorme da cabeça do Sábio, que era idêntico a Bartholomew Roberts, o Sábio que ele havia encontrado em Havana. Com a identidade do homem confirmada, os dois retornaram à superfície.[19]

Ao chegar na superfície, Edward e Kidd viram que um batalhão de soldados britânicos haviam invadido Tulum e feito ambos os Assassinos e a tripulação de Edward como reféns. Usando uma zarabatana dada por Kidd, Edward conseguiu furtivamente eliminar os guardas e resgatar os cativos. Todos os cativos foram resgatados, e Edward reuniu-se com Ah Tabai e Kidd na costa.

Lá, Ah Tabai parabenizou Edward pelas impressionantes habilidades e dons dele, mas repreendeu-o por sua arrogância e grosseria, e então disse que os erros dele em Havana estavam perdoados, mas que ele não era bem-vindo em Tulum. Kidd também explicou que eles possuíam uma lista de alvos, contendo Templários, os sócios deles e indivíduos corruptos que ameaçavam a liberdade e direitos, e que o homem responsável pelo ataque, um escravizador chamado Laurens Prins, estava nela. Ele então explicou sobre a guerra milenar entre os Assassinos e Templários, e que pagaria Edward pela eliminação de Templários e outros indivíduos sombrios.[20]

Edward então decidiu ir ajudar os Assassinos das sucursais na defesa contra os agentes Templários que iriam atacá-los.

Rastro de exploração

A primeira sucursal era uma "sucursal fantasma", localizada nas Ilhas Cayman, e liderada pela Taíno Opía Apito, cuja tribo havia sido praticamente erradicada pelos exploradores Templários na Era dos Descobrimentos. O agente Templário atrás dela tinha identidade desconhecida, mas os Assassinos suspeitavam que era um explorador/exploradora colonial.

Para ganhar a confiança de Opía, Edward participou em uma competição de caça contra ela, e ganhou o respeito dela após matar um jaguar branco feroz. Opía então mostrou que a área estava recebendo uma quantidade incomum de navios militares espanhóis, que ela suspeitava serem Templários, mas não sabia da identidade do líder.

No dia seguinte, Edward se reuniu com Opía na vila pesqueira das ilhas, onde ela disse que seria mais seguro ele investigar, por pele e vestimenta. Espionando os pescadores locais e furtando cartas de oficiais, Edward descobriu que uma "Señorita Márquez" estava por trás da presença militar nas ilhas e que ela estava usando a residência de seu tenente, Vargas, como quartel-general.

Ao confrontar Vargas, Edward e Opía descobriram que Márquez estava na Ilha Pinos, organizando um exército para localizar e destruí-los. Eles então foram para essa ilha, e seguindo um soldado espanhol, descobriram tropas espanholas baseadas em algumas ruínas americanas. Edward e Opía foram avistados, e tiveram que lutar contra os soldados, eventualmente matando a maioria através de barris de pólvora explosivos.

Márquez então se revelou, e Edward perseguiu-a pela selva, tendo cuidado em não ser emboscado por ela no meio das vegetações densas e traiçoeiras. Ele eventualmente conseguiu alcançar e esfaqueá-la. Em seus últimos momentos, Márquez disse que se os indígenas houvessem deixado eles explorarem a terra, todos estariam ricos. Opía disse que era melhor morrer do que viver subjugado a eles, e a Templária morreu.

Edward recuperou a chave e despediu-se de Opía.

Corrida armamentista

A segunda sucursal era em Havana, liderada pela pirata Rhona Dinsmore.

Chegando na sucursal, Edward viu Rhona ser emboscada por um grupo de soldados espanhóis, e ajudou ela em eliminá-los, colocando barris explosivos estrategicamente e detonando-os na hora certa. Rhona, que já conhecia Edward por causa do passado pirata, disse que ela suspeitava que uma onda de crime e roubo que estava acontecendo era relacionada ao Templário.[21]

Edward investigou o mercado de Havana, onde ele encontrou um batedor de carteira suspeito, e após uma perseguição breve, derrubou-o e recuperou alguns documentos e contratos. Os documentos detalhavam a localização de vários armazéns de armas de fogo e pólvora na cidade, e Rhona disse que descobriu a identidade do Templário, o expert em explosivos Hilary Flint.[22]

Usando os mapas e documentos adquiridos, Edward infiltrou-se nos armazéns bélicos e acendeu a pólvora lá presente, destruindo os recursos de Flint na cidade e deixando-o vulnerável[23]. Com Flint vulnerável, Edward e Rhona foram assassiná-lo, nas docas de Havana. Chegando lá, Rhona distraiu Flint com vários xingamentos, indicando que eles já foram próximos antes, e trocando tiros na mesmo ritmo que insultos.

Aproveitando a distração, Edward se aproximou de Flint e esfaqueou seu alvo com a Lâmina Oculta, ferindo-o mortalmente. Rhona então se aproximou de Flint, que disse que era uma pena que eles nunca puderam lutar juntos no lado correto das coisas, e sucumbiu aos seus ferimentos. Rhona então deu a chave de Flint a Edward, e despediu-se dele.

O plano do comandante

A terceira sucursal era em Kingston, liderada pelo ex-escravo fugido Antó.

Chegando na sucursal, Edward foi informado por Antó que vários outros fugidos e quilombolas estavam sendo aprisionados por soldados britânicos, e que ele estava perdendo a luta. Ele então mandou Edward descobrir a localização de seus homens capturados, e Edward investigou a cidade em busca de oficiais britânicos, eventualmente interrogando um deles e aprendendo a localização dos prisioneiros.[24]

Antó e Edward então foram libertar os escravos e prisioneiros, conseguindo recrutar vários para a causa e descobrindo a identidade do Templário por trás disso, Comandante Kenneth Abraham[25]. Mesmo com a relutância de Edward em continuar esta cruzada de Antó, eles continuaram libertando escravos, mas quando soldados britânicos atacaram-nos e mataram inocentes, Edward decidiu por um fim nisso.[26]

Localizando Abraham no alojamento militar, Edward feriu letalmente o líder Templário, que admitiu que ficou impressionado com o sucesso dos rebeldes rústicos de Antó e o fracasso dos soldados treinados dele. Antó respondeu que para ganhar, é preciso ter convicção, e não apenas poder. Edward então recebeu a chave de Abraham.

Disputa entre irmãos

A quarta sucursal era em Nassau, liderada pelo contrabandista Vance Travers.

Chegando na sucursal, Edward foi informado por Vance que haviam alguns homens suspeitos por perto, que ele suspeitava que trabalhavam para um Templário chamado Upton. Edward então seguiu estes dois homens suspeitos até um complexo, onde ele localizou Upton e tentou assassiná-lo, mas descobriu que Upton era na verdade um Assassino, e que Vance era o irmão dele.[27]

Em seguida, Edward foi falar com Upton novamente, que lhe informou que recentemente, Vance havia se apaixonado por uma pirata do Oriente chamada Jing Lang, e que cada irmão tinha uma metade de um mapa que levava a um tesouro enorme. Edward então seguiu Upton e Vance, que estavam conversando e discutindo sobre o mapa e sobre Lang, matando vários ladrões e agentes inimigos que tentavam roubar Upton no processo.

No final da conversa, Vance insultou Upton e correu até Lang, e Edward escutou a conversa deles, descobrindo as afiliações Templárias de Lang. Ele então matou um mercenário que estava prestes a assassinar Upton[28], que ficou deprimido pela traição de Vance e caiu em uma bebedeira aflita. Edward protegeu Upton dos perigos de Nassau e deixou ele para se recuperar na sucursal.[29]

Pouco tempo depois, Edward reuniu-se com Upton na sucursal, e foi informado que Lang precisava morrer, mas que Vance havia traído o Credo e por isso também precisava ser morto. Edward então localizou Vance nos pântanos de Nassau, e matou-o com sua Lâmina Oculta. Lang então revelou-se, e tentou fugir pela praia, mas foi eventualmente mortalmente ferida por Edward. Em seus últimos momentos, ela revelou que já era casada, e que seduziu Upton para facilitar o objetivo dela de eliminá-los, e que ela já havia roubado as duas metades do mapa e entregado ao marido dela. Ela então sucumbiu aos seus ferimentos.[30]

Rastreando Roberts

Com todas as cinco chaves Templárias adquiridas, Edward conseguiu obter a armadura que elas desbloqueavam. Ele também ganhou um pouco de respeito dos Assassinos, mas eles ainda duvidavam dele e de sua personalidade.

Ao retornar a Nassau, Edward aprendeu através de Charles Vane e Jack Rackham, que haviam acabado de chegar na cidade, que o Governador Torres estava em um forte próximo, Punta Guarico, com uma vasta quantia de ouro. Edward então viu a oportunidade de interrogar Torres sobre Roberts e o Observatório, e decidiu invadir o forte.

Edward e o Gralha então rapidamente foram ao forte, destruindo as defesas e rendendo os soldados presentes. Interrogando Torres, Edward descobriu que Roberts havia sido capturado pelo mesmo escravizador que atacou Tulum há pouco tempo atrás, Laurens Prins[31]. Edward então decidiu usar Torres para localizar Prins e resgatar Roberts, mas ao seguir os dois homens, descobriu que Kidd também estava caçando Prins, e que estava prestes a matar os dois.

Rapidamente, Edward impediu Kidd de matá-los, mas seu plano falhou, pois Prins era atento e viu-os. Enfurecido com Edward, Kidd disse que Edward ajudaria-o em matar Prins, e que talvez eles resgatassem Roberts no processo[32]. Na noite seguinte, Edward se reuniu com Kidd ao lado do latifúndio de Prins, e Kidd retirou sua bandana, revelando-se ser uma mulher.

"Kidd" então distraiu os guardas, dando Edward o tempo necessário para localizar e assassinar Prins, que disse em seus últimos momentos que assim como Edward, tudo que ele fez, ele fez por dinheiro e glória. Após matar Prins, Edward viu Roberts fazendo "Kidd" de refém, e logo em seguida ele a soltou e disparou contra um sino, chamando os guardas e possibilitando sua fuga.

Edward então se reuniu com "Kidd" fora do latifúndio, e ela revelou sua identidade verdadeira, Mary Read. Mary então ameaçou "desmasculinizar" Edward também se ele revelasse este segredo, e fugiu da área.[33]

Legado

As ações de Edward no Caribe, mesmo que conturbadas no início, possibilitaram os Assassinos caribenhos de encontrar e proteger o Observatório das garras dos Templários, que foram expulsos da área e não possuíram influência alguma no Caribe pelas próximas décadas, e nunca conseguiram realmente se recuperar.

Entretanto, a morte de Edward, e depois a de Miko, foi um golpe severo á Irmandade britânica, que foi posteriormente praticamente destruída pelo Rito britânico de Birch. Essa situação não foi revertida até mais que um século depois, em 1868, quando os gêmeos Jacob e Evie Frye destruíram a influência Templária extrema em Londres, com a ajuda do último Assassino da cidade, Henry Green.

A extensa pesquisa de Edward sobre a Primeira Civilização também ajudaram Evie em sua busca pelo Sudário do Éden, tentando impedir Crawford Starrick de recuperá-lo e usá-lo para os destruir. Além disso, o diário de Edward possibilitou seu filho, Haytham, de encontrar a chave e localização do Grande Templo, que séculos depois, possibilitou o descendente deles Desmond Miles de achar o mesmo e impedir o desastre solar que destruiria o planeta.

Em 2013, as memórias de Edward foram revividas por um analista de pesquisa da Abstergo Entertainment, que sem seu conhecimento, estava fazendo isto para encontrar a localização do Observatório para os Templários da Abstergo Industries.

Personalidade e características

No início de sua vida, Edward era um homem corajoso, mas imprudente, que tinha uma sede intensa por riqueza, glória e fama. Essa obsessão fez ele deixar sua esposa sozinha, tomar o trabalho perigoso de corsário e arriscar sua vida no Caribe para ganhar riquezas e provar seu valor. Após o Tratado de Utrecht acabar com a guerra, Edward teve que levar uma profissão ainda mais perigosa: a de pirata.

Como capitão do Gralha, ele rapidamente tornou-se temido e respeitado por seus subordinados, e tornou-se um amigo do quartel-mestre Adéwalé, mostrando que ele não possuí nenhuma atitude racista ou discriminadora. Até mesmo o famoso pirata Edward "Barba Negra" Thatch comentou que Edward conseguira limpar um galeão espanhol em menos de um minuto. A promessa de riqueza, fama e glória levaram Edward a iniciar uma intensa busca pelo Observatório, prejudicando ambos os Assassinos e Templários no processo. Mary Read sabia que Kenway tinha, fundamentalmente, um bom coração, mas outros Assassinos ainda não confiavam ou gostavam dele.

Mesmo com as tentativas de ambos os Assassinos e Templários de virar Edward para o lado deles, Edward resistiu e continuou focado no seu objetivo principal de encontrar e vender o Observatório. Esta jornada imprudente e gananciosa fez Edward perder tudo que tinha, incluindo seus amigos, esposa, lar e confiança. Apenas após todos estes acontecimentos trágicos e uma crise de bebedeira que Edward finalmente viu todos os erros que cometeu e concluiu que sua busca pelo Observatório foi uma completa insensatez e loucura.

Após isto, Edward viu como o Credo realmente era, uma chance de redimir-se e começar uma vida com propósito, e não apenas diversão e dinheiro. Ele evoluiu de um canalha egocêntrico à um dos mais sábios, renomados e conhecidos Assassinos de todos os tempos. Como um pai, Edward incentivou seu filho Haytham a formar suas próprias opiniões e pensamentos, ao contrário de seguir tudo que aprendeu na escola e de tutores. Em outros aspectos, Edward podia ser um conservador, como sua decisão de casar sua filha a Birch, como era a tradição na alta sociedade.

Equipamentos e habilidades

Desde uma idade inicial, Edward possuía um dom raro, a Visão de Águia, que ele não conseguiu compreender e controlar por muito tempo. Ele apenas conseguiu melhorar e praticar esse dom durante seu tempo no Caribe, e com a ajuda de James Kidd/Mary Read. Durante sua juventude, Edward também tornou-se habilidoso com facas de arremesso, praticando jogá-las em seu tempo livre.

Edward também era um lutador de corpo-a-corpo desarmado muito habilidoso, pois sempre havia metido-se em brigas de rua e de taverna durante sua juventude e algumas vezes como adulto. No Caribe, quando encrenqueiros tentavam surrar Edward em tavernas, ele velozmente conseguia nocauteá-los e escapar sem ferimentos graves ou fraturas.

Talvez sua maior habilidade fosse a de navegar no mar, familiarizando-se com o Gralha e tornando-se bem próximo à ela. Ele conseguia escapar de trombas d'água, redemoinhos e tempestades devastadoras com muita habilidade, e não precisava contratar um timoneiro, tendo orgulho em controlar seu navio manualmente. Ele também conseguia arpoar baleias e tubarões com frequência, e mergulhar em naufrágios para descobrir tesouros e diagramas.

Edward conseguia usar seu par de espadas com muita destreza, matando grupos de inimigos com facilidade e sobrevivendo até aos ataques de oponentes letais como brutos e oficiais. A habilidade dele com a espada era inicialmente não tão boa, mas após ser treinado extensivamente por Edward Thatch e Ben Hornigold, Edward atingiu seu potencial. Ele também era um atirador preciso, sendo capaz de usar mosquetes e pistolas com facilidade. Edward conseguia lutar também com machados e adagas, mas com menos efetividade.

Durante sua juventude, Edward fugiu das autoridades locais e de encrenqueiros mais fortes com frequência, geralmente correndo velozmente pelas ruas de Bristol ou escalando seus edifícios. Assim, ele tornou-se um adepto em corrida livre e parkour, mas aperfeiçoou essa habilidade durante seu tempo como corsário e pirata, escalando os mastros e cordas de navios frequentemente.

Finalmente, Edward também era um adepto em habilidades furtivas: arrombamento, espionagem, furto e mistura social. Além disso, após ser instruído por Rogers e du Casse, Edward conseguiu imitar alguns assassinatos com a Lâmina Oculta com exatidão relativamente precisa.

Em termos de aparência, Edward originalmente vestiu um traje laranja de marinheiro durante seu tempo como corsário e início da pirataria, mas depois usou o traje que adquiriu de Duncan Walpole para disfarçar-se. Após o fracasso de seu disfarce, Edward modificou as vestes de Walpole, adicionando várias placas de couro no peito e placas metálicas no punho, além de calças brancas, botas pretas e um cinturão vermelho. Após aposentar-se, Edward vestia, em ocasiões formais, um casaco azul-escuro com linhas douradas.

Em termos de equipamento, Edward geralmente usava duas espadas, quatro pistolas, uma zarabatana, facas de arremesso e duas Lâminas Ocultas. Após aposentar-se, Edward optou por usar apenas suas Lâminas Ocultas e uma espada escondida em uma bengala.

Vida romântica

Embora tenha tido alguns romances informais e soltos durantes sua juventude, o primeiro e talvez mais importante grande amor de Edward foi Caroline Scott, uma mulher que tinha um status social muito maior que o dele. Mesmo assim, Edward continuou perseguindo sua paixão, e os dois eventualmente casaram-se e tiveram felicidade inicialmente.

Contudo, o relacionamento deles piorou com o tempo, pois Edward não estava satisfeito com sua vida simples e modesta, desejando ao invés disso riquezas e glória. Caroline acabou grávida sem ele saber, e ele partiu para o Caribe sem conhecimento disto. Quando ele descobriu da filha, Caroline havia falecido por causa de doença, e Edward foi profundamente atingido por isso. Ele retornou à Inglaterra com sua filha, onde conheceu Tessa Stephenson-Oakley, que tornou-se seu segundo grande amor.

Sua vida com Tessa foi feliz, até que foi assassinado pelos agentes de Birch em 1735.

Curiosidades

Galeria

Referências

LogobrancodoAnimus Uma galeria de imagens está disponível para
Edward Kenway


Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.