FANDOM


Íconedeera-IndivíduosÍconedeera-BrotherhoodÍconedeera-Project LegacyÍconedeera-Templários

"O melhor cavaleiro de César, a habilidade de Donato é ultrapassada apenas pelo seu ego."
―Parte do artigo no Banco de Dados sobre Donato.

Donato Mancini (1473 - 1503) foi um capitão militar dos Exércitos Papais e um membro do Rito Italiano da Ordem dos Templários, leal à César Bórgia. Ele era considerado um cavaleiro excelente, mas arrogante e confidente.

Em 2012, suas memórias genéticas foram usadas pelas Indústrias Abstergo como um Avatar de Animi, no primeiro estágio de treinamento para os recrutas de Animus deles. Seu avatar era conhecido como "O Capitão".

BiografiaEditar

O cavaleiro de eliteEditar

Donato era um cavaleiro de combate excelente, e foi essa habilidade, junto com suas boas habilidades de combate e militares, que lhe capacitaram de tornar-se um notório capitão dos Exércitos Papais e eventualmente um membro do Rito Italiano da Ordem dos Templários, que na época era comandado por Rodrigo e César Bórgia, Papa e Capitão-General Papal, respectivamente.

Em 1502, Donato participou de uma corrida particular, com vários participantes, entre eles seus irmãos Templários César e Teodor Viscardi. Logo antes da corrida, Fiora Cavazza falou com Donato e lhe ofereceu uma armadura elegante e poderosa, em troca dele deixar seu mestre César ganhar. Donato, cujo orgulho superou sua subordinação, disse à Fiora que "o vencedor vencerá, nada mais importa."

Donato correu habilmente durante a corrida, e mesmo com a intervenção de Viscardi, que tentou ferir Donato com uma espada, ele venceu a corrida, provocando a ira de seu mestre e recebendo uma grande surra por um bando de mercenários como punição. Ferido gravemente, quando Donato finalmente se recuperou, César lhe perdoou, dizendo que ele "espera que tenha aprendido a lição".

Após isso, Donato começou uma operação de corridas e apostas nas ruínas do Circo Máximo, que se provou bastante lucrativa, com muitas das corridas sendo disputadas por Donato e vencidas. Quando outro vencia, Donato geralmente perdia a calma de maneira violenta.

MorteEditar

"Donato Mancini, eu corri contra aquele canalha e fiz o erro de vencer."
―Rocco.

Em 1503, quando um comerciante chamado Rocco venceu Donato em uma corrida, o capitão arrogante retribuiu destruindo a loja de Rocco e ameaçando a vida dele. Ele então mandou Rocco se encontrar com ele no circuíto de corrida dele, provavelmente com intenções de matar o comerciante.

O corredor 5

Os últimos momentos de Donato.

O Mestre Assassino Ezio Auditore da Firenze encontrou Rocco tentando consertar a barraca destruída dele, e após ouvir o que havia acontecido, decidiu pôr um fim à vida de Rocco e ao esquema de corridas dele.

Localizando o capitão no Circo Máximo, Ezio perseguiu Donato, eventualmente matando ele, mas poupando a vida de seus guardas. Ele deu à Donato seus ritos finais, e então fugiu.

Personalidade e característicasEditar

Donato, ao mesmo tempo que era um homem capaz e habilidoso, também era um homem orgulhoso e egocêntrico, nunca aceitando perder uma corrida. Quando César tentou lhe subornar a perder a corrida e deixar ele ganhar, Donato recusou a oferta, dando a entender que ele era um homem honrado. No entanto, é revelado que era apenas puro orgulho e ego, pois quando Donato perdeu uma corrida à Rocco, ele furiosamente destruiu a loja do comerciante e planejou matar-lo. Seu orgulho e ego foram o que levaram ao seu infeliz destino.

CuriosidadesEditar

  • Assassinar Donato não é necessário para continuar a história principal, mas para alcançar Sincronização total, é.

ReferênciasEditar