FANDOM


Segundo capítulo do jogo Assassin's Creed: Project Legacy de Roma.

Tradução do vídeo:

thumb|400px|right"O DDS vai tentar sincronizar-lo com as memórias de uma criança. Isso pode ser confuso para você em primeiro lugar, já que vai perder a sua capacidade de interpretar pensamentos complexos, mas sua mente deve se adaptar rapidamente. A verdade por trás dos verdadeiros pais de Giovanni Bórgia, o "Menino de Roma", tem confundido os historiadores. Mas ainda mais perplexo, é a vida insignificante que ele levou. Como conseguiu se manter intocado no centro do furacão? Sua tarefa é aprender a história escondida de nós."

248

Natureza vs EducaçãoEditar

Papai diz-me que Roma não é segura para mim. Ele diz que as pessoas querem me machucar. Eles querem ferir a nossa família. Quando pergunto o motivo, ele diz, porque eles sabem que somos melhores que eles. Ele diz que nossa família tem que ficar unida. Eles vão me ensinar a ser forte.

TalvezEditar

Papai me ensina a lutar com uma espada de madeira. Ele diz que um dia eu vou usar uma real e eu preciso ser bom no que faço. Ele joga muito sério! Às vezes eu acho que ele vai me machucar.

  • Talvez
    Papai grita comigo para arrastar a espada no chão.Digo-lhe que sinto muito, mas ele diz-me para prestar atenção, para não me arrepender.
  • Ele me diz para levantar a minha espada. Eu seguro e bato com a dele. Minha espada voa para fora da minha mão. Ele está com raiva de novo.
  • Eu pego minha espada. Papai bate na minha cabeça. Isto machuca! Ele me cutuca no ombro. Digo a ele para parar! Ele diz que os meus inimigos não vão parar.
  • Eu ataco forte, tentando acertar o joelho do papai! Ele se move para fora do caminho!
  • Eu começo a chorar e ele ri de mim! Eu corro na direção dele e tento esfaquear sua barriga. Ele bloqueia o meu ataque! Eu tento novamente e novamente. Eu grito com ele. Eu não posso batê-lo!
  • Papai me diz para me acalmar. Ele diz que eu tenho feito bons progressos hoje. Que se eu preciso chorar e ficar irritado antes que eu possa lutar, então ele vai me fazer chorar e ficar irritado novamente amanhã. Ele diz que eu estou aprendendo.

AmbiçãoEditar

Hoje eu estou brincando com a irmã de papai, Zia Lucrezia. Ela é triste, mas passar o tempo comigo a faz feliz. Ela diz que hoje ela vai me ensinar sobre o mundo. Ela promete não falar comigo como uma criança. Prometo não falar com ela como um adulto e ela ri. Eu rio também.

  • Faef
    Zia me pergunta o que eu faria se alguém dissesse que iria prejudicar a minha família. Pergunto por que alguém iria ferir minha família. Ela diz que todos querem nos prejudicar.
  • Digo a ela que eu iria bater nas pessoas más com uma espada. Ela me pergunta o que entendo por gente ruim. Digo a ela as pessoas que prejudicaria outros.Aqueles que não jogam limpo. Ela parece triste.
  • Ela me diz que existem maneiras de matar pessoas sem ninguém saber. Um veneno em sua comida ou bebida. Pergunto-lhe se Pappá tentou envenenar Fiora. Ela não responde.
  • Pergunto para Zia sobre minha mãe, se ela conhecia. Ela diz que sim. Minha mãe era jovem. Muito jovem para saber o que estava fazendo. Eu pergunto, onde minha mãe está agora. Posso conhecê-la? Ela diz que não sabe, mas ela sabe que minha mãe me ama.
  • Pergunto Zia porque as pessoas não gostam de nós. Ela diz porque somos fortes. Porque nós somos ricos. As pessoas estão com ciúmes. Eu pergunto-lhe porque não podemos torná-las fortes e ricas também. Ela ri.
  • Zia me diz para não confiar em ninguém. Nem no papai. Nem no Nonno . Pergunto se posso confiar nela. Ela começa a chorar, então eu deixá-la sozinha.

ReligiãoEditar

Nonno vai me deixar brincar com a Maça hoje! Ele diz que não é um brinquedo, mas eu acho que é um brinquedo.Ele brilha. Não faz barulho. Às vezes ele fala comigo como Consus faz.

  • Religião
    Nonno me pergunta sobre Consus. Ele pergunta se pode conversar com ele. Consus não está aqui. Ele não brinca quando Nonno está presente.
  • Nonno pergunta se a Maça está falando. E está. Ele pergunta o que está dizendo. Diz SE APROXIME. Ela diz LIMPE SUA MENTE. Nonno me pede para pega-lo.
  • Eu pego o da Maça. A sala está engraçada. As paredes estão inclinadas. Parece que eles estão respirando. Nonno grita para eu parar! Ele está com medo. Eu eu solto a Maça e ele me pede desculpas.
  • Ele me pede para pegar a Maça novamente. Para fazer um pássaro. Eu pergunto o que ele significa. Diz-me outra vez. Faça um pássaro.
  • Eu penso em um pássaro. Uma águia! Eu vejo a sombra de um pássaro na parede. Não está certo. Eu me concentro mais. Ela começa a voar!
  • Nonno aplaude como minha águia voa em torno da biblioteca! Ele ve ela também! Eu começo a rir e ela desaparece. Nanno escreve em seu livro e me diz que fizemos o suficiente por hoje.

HumildadeEditar

Papà pediu ao seu amigo Micheletto para me ensinar hoje. Eu não gosto dele. Ele é mau. Ele não gosta de mim também, mesmo eu tentando.

  • Humildade
    Micheletto me pergunta se eu sei onde chutar alguém. Digo a ele que iria chutar alguém no joelho.Ele diz que o joelho dói, mas há um lugar melhor que dói mais, mesmo para uma mulher. Pergunto-lhe se ele já chutou uma mulher e ele diz que muitas!
  • Micheletto me empurra para o chão e me diz para levantar-me! Eu tento, mas ele pisa em mim!Ele me diz que eu estarei morto antes de eu chegar a dez anos. Ele diz que está perdendo seu tempo!
  • Eu mordo seu tornozelo! Ele me pega pela minha camisa e me mantém sobre a sua cabeça! Eu grito para o meu pai, mas ninguém atende!
  • Micheletto diz que morder é bom se alguém está segurando você, mas me pergunta o que vou fazer quando alguem quebra seus dentes. Peço-lhe que não o faça!
  • Ele finge que me jogar na parede, mas pára. Ele me pergunta se eu molhei minha calça. Digo-lhe que não.
  • Micheletto pergunta se eu aprendi alguma coisa. Digo-lhe que não, mas eu estou mentindo. Eu aprendi a odiá-lo.

ProcuradoEditar

Nos meus sonhos eu sou mais velho. Falo palavras que eu não entendo na vida real, mas na minha lingua fantasma sim. Eu não sei quem eu sou, mas eu tenho flashes do que tenho feito. Eu tenho viajado muito e tomei vidas. Eu sou um mensageiro e um impostor.

IniciaçãoEditar

O que o Sudário de fazer a esta pobre criança? Ele deve estar sonhando com o equivalente renascentista do sol e piruetas, e não com assassinatos e política! Eu nunca vi nada assim! - Erudito


  • Imaginação
    Os irmãos estão diante de mim. Eu não sou um deles ainda, mas logo serei. Hoje à noite, eu ascendo.
  • Quando outros homens seguem cegamente a verdade, lembre-se ... nada é verdadeiro.
  • Quando os homens são limitados pela moralidade ou a lei, lembre-se ... tudo é permitido.
  • Eles deixam sua marca em mim. Um sacrifício simbólico. Um ferro queima minha mão!
  • Tudo o que resta - o salto de fé. Eles levam, cada Irmão pula da torre e pousa com segurança em um monte de feno. Eles são como águias.Verdadeiramente livre. Eu não hesito. Na queda me sinto em vôo. Emocionante!
  • Perotto. Giovanni sonhava como Perotto! Isso significa que ele deve ter tido memórias Lucrezia lá que faria se envergohar de se Édipo! Isto é mau, muito mau, mas você precisa cavar mais fundo. Vou trabalhar na prevenção para que isso nunca chegue aos relatórios de Abstergo. - Erudito

MentorEditar

Meus irmãos me deram uma criança para cuidar. Sua família serviu durante muito tempo conosco, mas ele ainda é uma criança. Eu estou a lhe ensinar os caminhos da nossa Ordem, como me foi ensinado na sua idade.


  • Mentor
    Ele é uma criança magricela, osso fino e alto para sua idade. Ele vai ter alguma dificuldade no início, mas seu corpo vai se adaptar ao treinamento.
  • Francesco está ansioso, assim como minucioso. Ele repete as suas perguntas. Ele me pede para repetir o minhas lições enquato estudo. Ele não vai avançar com uma lição a menos que ele está satisfeito com seus resultados. Às vezes eu fico frustrados porque ele é um perfeccionista.
  • Francesco tem muita raiva. Ele me golpeia com a espada sem parar. Eu bato para o lado para mostrar como a minha lâmina passou facilmente o seu ataque descontrolado. Eu digo para se acalmar. Na batalha, a emoção é uma fraqueza
  • Eu jogo sua espada para longe. Ele leva a mal, caindo de seus ombros e insulta a si mesmo. Eu vou até ele e digo para tentar de novo, explicando como manter uma melhor aderência em uma arma.
  • É importante deixar uma criança ser criança. Deixo Francesco com um grupo de crianças de sua idade em uma vila próxima. Eles montam um desfile e Francesco assume a liderança. Torço por ele em sua armadura brinquedo!
  • Acredito que Francesco fará uma adição excepcional para nossa Ordem. O menino é forte, apesar de suas limitações físicas. Falar com ele é como falar com um adulto, às vezes. Ele é sábio além de seus anos.


LoucuraEditar

Estou enrolado em pesadelos. Eu nunca senti o amor. Eu senti o amor tão forte que me estrangula. Sou um Borgia.Os Borgia são meus inimigos. Eu sou assassino. Os assassinos são meus inimigos. Cesare é o meu pai.Perotto é meu pai. Perotto. Sou Perotto. Sou Giovanni. Eu estou perdido.


  • Loucura
    Eu estou me afogando em um mar de letras. Eu devo escrever. Eu não aprendi. Palavras que eu não consigo entender cobri toda a superfície com tinta vermelho sangue. Eu tento escrever sobre eles com a minha pena. A escuridão da minha tinta é perdida na piscina escarlate.
  • Papà me impressiona com sua lâmina! Cesare me apunhala pelas costas! Eu choro. Eu caio. Eu quero me livrar dele. Eu quero matá-lo. Vou entrar em apuros. Vou causar problemas para Lucrécia. Devo correr para Zia. Tudo para Lucrécia.
  • Homens de capuzes brancos me cercam. Eu estou aqui para ensinar-lhes? Como? Eu sou uma criança.Eles estão aqui para me ensinar? Os meus alunos. Meus carrascos. Meu futuro?
  • Eu sei muito, mas eu não sei nada. Eu sou inocente, mas estrou destroçado pela culpa.
  • Eu persigo um objeto de poder. Eu não tenho fé que ele vai funcionar. Eu sei como ele funciona. Ele irá curá-lo. Ele vai me curar. Ele vai me refazer.
  • Meu sonho ameaça a se romper. É muito. Será que eu vou acordar? Será que eu vou dormir de novo?

Visão lateralEditar

Eu sou um bebê novamente. Doente. Morrendo. Eu carrego o meu bebê. Eu tenho o Sudário. Ele me envolve em um cobertor. O cobertor canta. O Sudário canta.


  • Visão lateral
    VOCÊ NÃO ESTÁ DESENVOLVIDO. Cure-o! SUJEITO POUCO DESENVOLVIDO.
  • Dane-se! Cure-o. Quem está falando? Quem está gritando? APROXIME-SE.
  • Isso dói! A DOR É TEMPORARIA. Eu não entendo.A COMPREENSÃO É DESNECESSÁRIA.
  • REPARAÇÃO É POSSÍVEL. DIFÍCIL. Faça isso, então!
  • Tão quente! Tão frio. Ele chama a vida de mim. Isso me faz sentir vivo. Está feito? SIM. Funcionou? Responda-me! Funcionou?
  • Consus? Você está aí, Consus? DURMA CRIANÇA. ESQUEÇA ESSES SONHOS.

Longe demaisEditar

Meu pai diz que eu sou muito mole. Ele não quer olhar para mim. Ele me faz chorar, eu digo a ele que posso ser mais forte. Eu posso ser como ele. Ele faz-me prometer.

Escandalo publicoEditar

Papà me enviou para Micheletto novamente. Pedi-lhe que não. Ele disse que é para o meu próprio bem. Ele disse que eu preciso ver o mundo real. Eu trouxe uma coisa na minha mochila. Nonno ficaria muito zangada se soubesse.

  • Publico
    Micheletto não falar comigo. Ele anda rápido.Quase rápido demais para mim acompanhar.
  • Micheletto pára para conversar com um homem velho. Ele é pobre e sujo. Eu me pergunto se Micheletto vai lhe dar dinheiro. Micheletto diz-me o nome do homem e pede-me para cumprimentá-lo.
  • O velho é bom. Ele me diz que eu lembro de seu próprio filho. Ele pergunta quantos anos eu tenho.Digo-lhe eu sou cinco.
  • Micheletto põe um dedo à boca. Eu fico quieto enquanto o velho fala. Micheletto pega uma corda e envolve em volta do pescoço do velho!
  • Micheletto levanta o velho pelo pescoço! Ele está sufocando! Ele chuta e esmaga os braços! Peço Micheletto parar. Ele apenas sorri!
  • O homem está morto! Micheletto me pergunta se eu me diverti. Digo-lhe que não! Ele diz que será mais divertido depois de eu ter feito isso algumas vezes.

Castigo justoEditar

Eu corro de Micheletto! Ele chinga e me persegue! Ele é muito rápido! Eu tento correr para um beco, mas ele me segue!

  • Castigo
    Micheletto tira a corda novamente! Ele ele aperta ela entre os punhos!
  • Eu tirar a Apple da minha bolsa! Micheletto olha chocado! Ele tenta me agarrar!
  • LIMPE SUA MENTE. GERE. Eu ouço Consus.
  • Tento pensar algo. Nada! Estou com muito medo!
  • Papai! Me ajude! Papai!
  • Papai entra no beco! Ele se vira para Micheletto e tira sua espada! Micheletto pede desculpas e sua corda! Eu corro para o pai, mas ele desaparece! Micheletto foge!

Buscando claridadeEditar

Eu odeio papai. Nonno só se preocupa com a Apple. Zia é sempre triste. Eu quero fugir deles! Eu quero viver em outro lugar.

Migalhas de pãoEditar

Um pombo voa em meu quarto! Ele tem um papel amarrado aos seus pés! Eu tiro e ela voa. Fico olhando o papel, mas não consigo ler.

  • Pão
    Consus me diz o que o papel diz. Ele quer que eu vá para a praça da fonte. Um jogo! Eu adoro jogos!
  • Ninguém me vê. É fácil fugir se eu estou em silencio.Nonno está lendo um livro. Ele não me vê.
  • Zia esta chorarando de novo. Ela vai chorar mais, se eu for vê-la. Passo pelo quarto dela.
  • Papai não está em Roma.
  • Os guardas estão em seus postos. Eles estão próximos às portas. Alguém grita e eles vão atrás! Eu corro através das portas!
  • Corro para a fonte. Uma das estátuas tem um um outro papel na mão! Eu pego. Diz para encontrar meu caminho. Ela diz para usar meus outros olhos.

Meus próprios olhosEditar

O papel diz para usar os meus olhos de outros. Às vezes eu vejo coisas que não estão lá. Desenhos, ou ondas. Eu olho ao redor da fonte em busca de desenhos. Eu gosto deste jogo!

  • Olhos
    Eu procuro uma seta ou pegadas. Eu não vejo nada. A nota não diz o que procurar. Não! Um homem que é mais brilhante que o resto. Eu corro atrás dele!
  • Eu corro em um beco. O homem não está aqui.Aonde ele foi? Eu olho para cima. Não! Ele está lá em cima! Eu rio dele. Ele acena para mim segui-lo.
  • Ele é rápido! Ele salta de telhado em telhado. Eu fico na rua e tento segui-lo!
  • Chegamos a um outro beco. O homem levanta a mão. Ele quer que eu pare. Ele coloca um dedo em sua boca. Ele quer que eu fique quieto.
  • Dois homens sujos me veem. Um não tem dentes. O outro tem uma faca! Eles perguntam por que minhas roupas são tão extravagantes. Eles perguntam se eu tenho moedas!
  • O homem cai! É tão alto. Acho que ele vai se machucar. Não! Ele cai sobre o outro homem.Ele afasta as mãos. Seus pescoços estão sangrando!

ReuniãoEditar

Ele diz que seu nome éFrancesco. Suas roupas são estranhas, como um mágico. Ele me diz para não ter medo. Eu não tenho medo. Digo que quero ir com ele.

  • Reunião235889
    Ele me pergunta sobre a Apple. Digo-lhe "Pappá escondeu de mim quando ele descobriu que eu levei pra fora. Eles não me deixam brincar com ela mais.
  • Consus diz-me a confiar Francesco. Ele diz que pode me ajudar.
  • Eu não sei porque, mas eu digo-lhe que o perdoo. Ele me pede para me repetir. Eu não me lembro o que eu disse.
  • Ele me diz que ele pode me levar para morar com seus irmãos. Só se for o que eu quero. E é! Pergunto-lhe se ele é um Assassino. Ele faz uma cara engraçada.
  • Francesco leva a roupa suja de um dos homens que ele matou. Ele envolve em torno de mim. Isso fede!Andamos rápido no meio da multidão. Ele tem um cavalo à espera. Ele me ajuda a subir.
  • Estamos andando rápido! Pergunto a Francesco se eu nunca vai ver Zia novamente. Ele me diz que é a escolha é minha, mas tenho de manter segredos. Grandes segredos.

Et tu, Brute? (Até tu, Brutus?)Editar

SUA MENTE ESTÁ DANIFICADA CRIANÇA. VOCÊ SONHA COM SONHADORES PASSADO. VIIDAS QUE JA ESTIVERAM NA SUPERFICIE. VOCÊ DEVE SE LIVRAR DELES OU ESTARÁ PERDIDO.

  • Caverna
    Eu estou voando sem forma! Eu sou o vento. Não, eu estou em cima do vento, me afasto da cidade. Do outro lado de campo e da floresta. Mais uma vez, eu estudo o meu caminho que eu sei que vai ser perdido quando eu acordar.
  • Eu ouço. Avisos. Profecia. Fatalidades. Pesadelos! Eu sou necessário. Eu preciso.
  • Vejo um rosto. É o meu próprio e, em seguida, ele é do meu pai. Meu César. A carne em cima de seu crânio comidos por aves carniceiras!
  • Cleopatra e César se beijam, enquanto Roma arde! Eu grito para César! Vire-se! Vire-se e salve seu povo!
  • Vinte e três lâminas. Vinte e três chaves.
  • EXCESSO DE INFORMAÇÕES. SEM IMPORTANCIA. ERRELEVANTE.

IntervençãoEditar

Nós deixamos cair de joelhos, a nossa respiração presa na garganta e tentamos compreender o espetáculo antes de nós. Giovanni está sonhando. Brutus está acordado. Esta caverna tem assombrado mesmo nossos sonhos. Passámos noites incontáveis ​​explorando-a em nosso sono. Fomos obrigados a encontrá-lo.

  • Re
    É aqui que vamos nos reunir. Aqui nós vamos traçar a queda do nosso inimigo, nosso amigo, nosso pai, nosso ditador perpétuo. Quarenta e um de nós, cada um senador. Uma criança, um sonhador. Cada um é um libertador. Cada um é um assassino.
  • O primeiro conselho foi encerrado. Nosso problema é claro, a nossa resposta indeterminada. César se afasta do Senado, colocando a sua confiança nos governantes estrangeiros, adotando o ego e a pompa de sua prostituta egípcia. Cesare se afasta da sua família, deixando Giovanni à mercê de seu cachorro louco.
  • César se recusa a levantar quando ele se dirige a nós e zomba das nossas preocupações. Ele criou seu próprio Senado privado, cheia de enganadores, manipuladores, pessoas que não têm negócios em assuntos romano. Papà trabalha com monstros e assassinos que não se preocupam com as pessoas da Roma.
  • Meus irmãos estão ávidos por sangue, mas não estou certo de que pode derramar-lo. Roma não será livre até Pappá estiver morto.
  • Encontramos vestígios de qualquer coisa que nos puxou para cá. Sussurros. Luzes piscando através de rachaduras na terra. Uma porta que também é um enigma. Temos de encontrar a solução.
  • VOCÊ PERDEU O FOCO. Não, eu encontrei um proprósito. VOCÊ SÓ VÊ O PASSADO. Não, eu vejo o futuro.

SonambuloEditar

ACORDE CRIANÇA. Estou acordado! Olha, meus olhos estão abertos. Eu preciso encontrar uma lâmina. Devo esfaquear César 23 vezes.


  • Sonambulo
    Acho um punhal na sala onde César e eu praticamos com espadas de madeira. Ele trava no alto de uma estante, mas eu subo em uma cadeira. Ele não me deixar usar as lâminas ainda, mas gosto da sensação.
  • Hoje. Os Ides de março . Caesare estará no Teatro de Pompeu. Eu vou pelo corredor. Cleópatra está dormindo no quarto dela.
  • ISSO É UMA FANTASIA. PENSE.
  • Os outros senadores não estão aqui! Tínhamos um plano! Devem estar com medo. Eu irei sozinho!
  • César esta roncando. Eu sou pequeno, mas eu posso matá-lo em seu sono, se eu ficar em silencio. Eu levanto o punhal e olho para seu rosto. Papai?
  • Micheletto agarra meu braço e me puxa da sala! Eu tento gritar, mas ele cobre minha boca! Eu não quis fazer isso! Por favor, deixe-me ir! A DOR É TEMPORÁRIA.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória