FANDOM


Íconedeera-OriginsÍconedeera-Mundoreal

Assassin's Creed: Origins é o décimo jogo principal da série Assassin's Creed, passando-se no Egito durante a ascensão de Cleópatra.

As informações principais do jogo foram vazadas em junho de 2017, e o jogo foi confirmado pela Ubisoft e mostrado na E3 do mesmo ano. Jogadores assumem o controle do Assassino egípcio Bayek, e podem controlar a águia domada Senu. O jogo possui uma notável alteração de jogabilidade em relação aos seus antecedentes, adotando um estilo RPG com um combate mais focado e difícil e uma customização mais profunda, sacrificando alguns elementos clássicos da série como consequência.

Origins foi lançado em 27 de outubro de 2017.

EnredoEditar

SinopseEditar

O jogo segue Bayek de Siuá, um dos últimos Medjai do Egito, e sua busca por vingança contra a Ordem dos Anciões, um grupo misterioso de indivíduos misteriosos que buscam controlar o Egito e estabelecer uma sociedade onde as massas são subjugadas e a ordem prevalece.

Um ano antes dos eventos de Origins, o filho pequeno de Bayek, Khemu, acaba morto pelos membros da Ordem quando eles tentam interrogar Bayek sobre uma câmara misteriosa em Siuá, o vilarejo natal dele. Enfurecido, Bayek trilha um caminho de vingança ao lado de sua esposa Aya, que também está envolvida em um plano para derrubar o Faraó opressivo e incompetente Ptolemeu XIII e colocar Cleópatra no poder.

Fazendo várias alianças e descobrindo uma conspiração muito maior do que ele esperava, Bayek percorre o Egito, libertando suas cidades e nomos dos membros da Ordem que governam eles, e se envolve em eventos como a Guerra Civil Alexandrina, quando Júlio César invade o Egito.

ResumoEditar

Em breve

JogabilidadeEditar

Navegação e mapaEditar

O mapa de Origins é composto pelo Baixo Egito e pelo leste da Líbia, e pode ser livremente explorado sem nenhuma tela de carregamento, descrito pelos desenvolvedores como uma versão terrestre do mapa de Black Flag. As cidades principais presentes no mapa são Gizé, Mênfis, Cirene e Alexandria, além de inúmeros assentamentos e vilas pequenas na região de Faium e no delta do Nilo.

O minimapa presente nos jogos anteriores da série foi substituído por um compasso em forma de régua, seguindo o exemplo de The Elder Scrolls. O compasso indica objetivos de missões, lugares próximos e pessoas de interesse. Senu, a águia domesticada de Bayek, serve como a nova forma de Visão de Águia, podendo sobrevoar áreas, detectar e marcar inimigos, localizar coletáveis e encontrar passagens secretas. Uma neblina está presente no mapa, e o jogador precisa explorar eles por si mesmo para remover a neblina, os Pontos de Observação removendo apenas uma pequena parte da neblina.

Os inúmeros locais existentes no mapa possuem um sistema de progresso. A maioria dos locais possuem de um a três objetivos, e se o jogador completar todos eles, o local é marcado como completo, e uma quantidade variável de XP é recebida. Em áreas restritas, os objetivos variam entre eliminar o capitão ou capitães, eliminar o comandante e saquear os baús de tesouro, dependendo do tamanho do forte. Em covis de animais, o objetivo é de eliminar o animal alfa. Em tumbas, encontrar o tabulete antigo, em templos e outros lugares importantes, encontrar o papiro, e na maioria dos lugares menos importantes, saquear os tesouros.

De maneira parecida com Unity, há vários interiores acessíveis ao longo do mapa, incluindo a famosa Biblioteca de Alexandria. Mesmo com a ausência da clássica Visão de Águia em forma de sexto sentido, há o Pulso Animus, que mesmo não detectando inimigos, consegue marcar objetos de interesse. Como resultado da nova Visão de Águia, os pontos de observação agora estendem a capacidade de detecção de Senu, sendo ela agora a fonte primária de informações sobre uma área.

A exploração subaquática presente em Black Flag retorna em Origins, mas desta vez, jogadores podem mergulhar em qualquer corpo d'água suficientemente fundo, conseguindo explorar naufrágios e ruínas antigas para conseguir tesouros e itens. Um sistema de combate subaquático também foi criado para lutar contra predadores como crocodilos e hipopótamos.

Os locais secretos presentes em alguns jogos anteriores retornam em Origins como tumbas e criptas antigas, algumas delas sendo históricas, enquanto outras são fictícias. Esses ambientes possuem armadilhas e enigmas, mas eles focam em exploração e caça ao tesouro, e precisam ser navegados com a ajuda de uma tocha ou incêndios.

Para navegar o mapa mais facilmente, Bayek pode usar camelos, cavalos, carroças e barcos à vela.

Elementos de RPGEditar

O sistema limitado de habilidades, progressão e atributos introduzido em Unity e aprofundado em Syndicate retorna em Origins, desta vez muito mais profundo, balanceado e expanso. Certas ações recompensam o jogador com XP, que é usado para subir de nível. Cada vez que Bayek sobe de nível, a resistência e dano de aumentam, e pontos de habilidade são atribuídos para serem gastos em habilidades na Árvore de Habilidades.

As habilidades variam entre melhorias no combate corpo-a-corpo, combate à distância, furtividade, criação de equipamentos e manipulação do ambiente. O sistema de criação é muito mais vasto que o presente nos jogos anteriores, e materiais são adquiridos através de caça, exploração ou comércio, e um dos itens que podem ser melhorados é a própria Lâmina Oculta, que não pode assassinar inimigos de nível alto instantaneamente se não estiver apropriadamente melhorada.

Outra mudança notável é que, em Origins, não é preciso ficar preso em uma missão para completá-la, o jogador tendo liberdade para completar várias missões ao mesmo tempo, incluindo as principais, em um estilo similar à RPGs como The Witcher, Elder Scrolls, Fallout e outros.

Devido ao perigoso e quente deserto do Egito, o jogador precisa ter cuidado ao atravessá-lo, pois Bayek pode não sobreviver em tempestades de areia ou áreas muito secas por muito tempo.

CombateEditar

O sistema de combate foi completamente refeito em Origins, utilizando um sistema de hitbox, e por isso o posicionamento, distância e o tamanho/velocidade da arma são importantes e determinam se um ataque vai ou não acertar o alvo. Assim, uma arma pesada como uma maça pode causar dano devastador contra um inimigo, mas em uma velocidade muito menor que uma arma leve como uma espada. O escudo de Bayek também pode ser usado para bloquear ataques ou realizar pancadas e atordoar inimigos.

Adrenalina também foi implementada, que vai ganhando energia no meio do combate, e ao ser preenchida, dá ao jogador a habilidade de realizar ataques finalizadores mortais ou a habilidade de entrar em uma fúria, que faz Bayek ficar temporariamente mais resistente, mais forte e mais rápido.

Como é de costume, há uma grande variedade de armas em Origins, incluindo espadas, arcos, armas pesadas, armas longas, armas bruscas e escudos. O total de armas é cerca de 150, cada uma tendo raridade que varia entre "comum" e "lendária". Algumas armas possuem atributos específicos, como chance maior de causar sangramento ou causar dano crítico.

Origins inclui várias lutas especiais contra guerreiros formidáveis e criaturas estranhas.

MiscelâneaEditar

  • A habilidade de escolher se Bayek fica com o capuz abaixado ou para cima foi finalmente implementada no jogo.
  • A habilidade de escolher entre vários jogos salvos retorna, após estar absente em Unity e Syndicate.
  • A habilidade de acelerar o dia para um horário específico, como manhã, meio-dia, tarde ou noite, retorna.
  • Algumas atividades online estão presentes no jogo, mas é primariamente uma experiência single-player.

ReferênciasEditar

  • Assassin's Creed: Origins

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.