FANDOM


Íconedeera-AC1Íconedeera-RevelationsÍconedeera-RogueÍconedeera-UnityÍconedeera-SyndicateEra-ACiÍconedeera-A QuedaÍconedeera-Quadrinho FrancêsÍconedeera-Dossiê do FuncionárioÍconedeera-FilmedeACÍconedeera-AbstergoÍconedeera-Templários

PL Treasure HunterHQ Aquele que aumenta em conhecimento, aumenta em tristeza.

Este artigo contém spoilers, o que significa que tem informações e fatos a respeito de lançamentos recentes ou futuros da série Assassin's Creed.
Se você não quiser saber sobre esses eventos, é recomendável ler com cuidado, ou não tudo.

Alan Rikkin
ACF Alan Rikkin
Informações biológicas
Nasceu em

c. 1951

Morreu em

2016 (aos 65 anos)
Londres, Reino Unido

Informações políticas
Afiliações

Abstergo Industries
Templários

Informações do mundo real
Aparece em

Assassin's Creed
Assassin's Creed: Heresy
Assassin's Creed: O Filme
Assassin's Creed: Livro Oficial do Filme

Ator

Jeremy Irons (filme)

Dublador

Júlio Chaves (filme)

Alan Rikkin (c. 1951 – 2016) foi o CEO da Abstergo Industries e um membro do Inner Sanctum da Ordem dos Templários.[1] Ele ocupava os cargos de Grão-Mestre[2] e Guardião dentro da Ordem, respondendo diretamente ao General da Cruz e ao Conselho dos Anciões.[3]

BiografiaEditar

Em 1980, Rikkin e sua esposa tiveram uma filha, Sophia, mas Rikkin teve que cuidar de Sophia sozinho após sua mulher ser assassinada por Assassinos em 1984.[2]

Em 2000, Rikkin foi informado por Warren Vidic que Daniel Cross havia assassinado com sucesso o Mentor dos Assassinos e retornado a instalação da Abstergo na Filadélfia.[4]

Rikkin substituiu o falecido diretor executivo da Abstergo em janeiro de 2012. Em uma gravação de áudio, o antecessor de Rikkin o encorajou a não desistir e lembrou a ele que o mercado livre iria logo acabar, e que eles precisavam estabelecer a Nova Ordem Mundial antes que tudo virasse uma anarquia.[5]

Projeto AnimusEditar

Rikkin supervisionou o Projeto Animus dirigido por Warren Vidic e Lucy Stillman, analisando os arquivos recuperados das memórias dos Indivíduos 12-16. Ele estava ficando impaciente com a demora do décimo-sétimo indivíduo, Desmond Miles, de encontrar e sincronizar com a memória que eles precisavam para encontrar as Peças do Éden.

Rikkin e dois outros executivos e templários da Abstergo, David Kilkerman e Henry Liman visitaram o laboratório de Vidic e Stillman. Vidic havia encontrado a memória necessária, e Rikkin disse que iria enviar times para coletar os artefatos, e então disse que Desmond deveria ser eliminado imediatamente. Mas Stillman disse que ainda haviam oportunidades a serem exploradas nas memórias dos ancestrais de Desmond, e Rikkin concordou e permitiu que ele vivesse mais.[6]

Administrando a AbstergoEditar

Em 2013, Rikkin ordenou a Olivier Garneau, o diretor criativo da subsidiária Abstergo Entertainment, que ele encontrasse o templo da Primeira Civilização, o Observatório, através das memórias de Edward Kenway.[7] Em 2014, após Garneau ter desaparecido em Chicago, Rikkin parabenizou Melanie Lemay pela promoção dela a diretora criativa da Abstergo Entertainment.[8]

Em outubro de 2015, Rikkin teve uma conferência com Isabelle Ardant sobre a busca pelo Sudário do Éden. Ele foi depois informado pelo Dr. Álvaro Gramática que Violet da Costa recuperou o Sudário do cofre abaixo do Palácio de Buckingham, mas que Ardant foi assassinada no processo.[9]

Busca pela Maçã do ÉdenEditar

Em 2016, Rikkin e sua filha Sophia iniciaram uma pesquisa e investigações para achar uma das Maçãs do Éden. Descobrindo que a última pessoa conhecida a possuir a Maçã foi o Assassino espanhol Aguilar de Nerha, eles iniciaram uma busca por um potencial descendente de Aguilar que iria cooperar com eles.

Joseph Lynch, um Assassino registrado e capturado, era um descendente de Aguilar, mas os Rikkins sabiam que ele não iria cooperar. Eles então sequestraram o filho de Joseph, Callum, e fingiram a morte dele. Para encorajar Cal, Rikkin disse a ele que Joseph assassinou a mãe de Cal apenas por vontade, não contando a ele que ela havia pedido a morte.

Desse jeito, Cal alcançou sincronização perfeita com Aguilar, e eles descobriram que a Maçã estava na tumba de Cristóvão Colombo. Contudo, quando Rikkin e Sophia haviam deixado o prédio para ir até a tumba de Colombo, os Assassinos lá capturados se revoltaram e Cal mudou suas ideias devido a o que ele viu no Animus, e virou um Assassino. [10]

MorteEditar

Rikkin e Sophia encontraram com sucesso a Maçã, e então foram a uma Sede Templária em Londres. Lá, Sophia ficou frustrada com Rikkin pois era ele quem iria receber toda a glória e a Maçã não seria usada para erradicar a violência do jeito que ela desejava, e sim para acabar com o livre-arbítrio, e controlar o mundo através de uma tirania.

Rikkin disse a ela que o tempo como uma Templária de destaque para ela iria chegar, e então se apresentou no palco a multidão de Templários. Em meio ao seu discurso, um grupo de Assassinos liderados por Cal lançou bombas de fumaça e o salão ficou envolto por fumaça. No meio do caos, Cal se esgueirou por trás de Rikkin e cortou a garganta do Templário com sua Lâmina Oculta, e então recuperou a Maçã e fugiu da área.

ApariçõesEditar

Aparições não canônicasEditar

ReferênciasEditar

Predefinição:ACH Predefinição:Initiates

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória