FANDOM


Íconedeera-AC1Íconedeera-RevelationsÍconedeera-RogueÍconedeera-UnityÍconedeera-SyndicateEra-ACiÍconedeera-A QuedaÍconedeera-Quadrinho FrancêsÍconedeera-Dossiê do FuncionárioÍconedeera-FilmedeACÍconedeera-AbstergoÍconedeera-Templários

PL Treasure HunterHQ Aquele que aumenta em conhecimento, aumenta em tristeza.

Este artigo contém spoilers, o que significa que tem informações e fatos a respeito de lançamentos recentes ou futuros da série Assassin's Creed.
Se você não quiser saber sobre esses eventos, é recomendável ler com cuidado, ou não tudo.

Alan Rikkin (c. 1951 – 2016) foi o CEO da Abstergo Industries e um membro do Inner Sanctum da Ordem dos Templários.[1] Ele ocupava os cargos de Grão-Mestre[2] e Guardião dentro da Ordem, respondendo diretamente ao General da Cruz e ao Conselho dos Anciões.[3]

BiografiaEditar

Em 1980, Rikkin e sua esposa tiveram uma filha, Sophia, mas Rikkin teve que cuidar de Sophia sozinho após sua mulher ser assassinada por Assassinos em 1984.[2]

Em 2000, Rikkin foi informado por Warren Vidic que Daniel Cross havia assassinado com sucesso o Mentor dos Assassinos e retornado a instalação da Abstergo na Filadélfia.[4]

Rikkin substituiu o falecido diretor executivo da Abstergo em janeiro de 2012. Em uma gravação de áudio, o antecessor de Rikkin o encorajou a não desistir e lembrou a ele que o mercado livre iria logo acabar, e que eles precisavam estabelecer a Nova Ordem Mundial antes que tudo virasse uma anarquia.[5]

Projeto AnimusEditar

Rikkin supervisionou o Projeto Animus dirigido por Warren Vidic e Lucy Stillman, analisando os arquivos recuperados das memórias dos Indivíduos 12-16. Ele estava ficando impaciente com a demora do décimo-sétimo indivíduo, Desmond Miles, de encontrar e sincronizar com a memória que eles precisavam para encontrar as Peças do Éden.

Rikkin e dois outros executivos e templários da Abstergo, David Kilkerman e Henry Liman visitaram o laboratório de Vidic e Stillman. Vidic havia encontrado a memória necessária, e Rikkin disse que iria enviar times para coletar os artefatos, e então disse que Desmond deveria ser eliminado imediatamente. Mas Stillman disse que ainda haviam oportunidades a serem exploradas nas memórias dos ancestrais de Desmond, e Rikkin concordou e permitiu que ele vivesse mais.[6]

Administrando a AbstergoEditar

Em 2013, Rikkin ordenou a Olivier Garneau, o diretor criativo da subsidiária Abstergo Entertainment, que ele encontrasse o templo da Primeira Civilização, o Observatório, através das memórias de Edward Kenway.[7] Em 2014, após Garneau ter desaparecido em Chicago, Rikkin parabenizou Melanie Lemay pela promoção dela a diretora criativa da Abstergo Entertainment.[8]

Em outubro de 2015, Rikkin teve uma conferência com Isabelle Ardant sobre a busca pelo Sudário do Éden. Ele foi depois informado pelo Dr. Álvaro Gramática que Violet da Costa recuperou o Sudário do cofre abaixo do Palácio de Buckingham, mas que Ardant foi assassinada no processo.[9]

Busca pela Maçã do ÉdenEditar

Em 2016, Rikkin e sua filha Sophia iniciaram uma pesquisa e investigações para achar uma das Maçãs do Éden. Descobrindo que a última pessoa conhecida a possuir a Maçã foi o Assassino espanhol Aguilar de Nerha, eles iniciaram uma busca por um potencial descendente de Aguilar que iria cooperar com eles.

Joseph Lynch, um Assassino registrado e capturado, era um descendente de Aguilar, mas os Rikkins sabiam que ele não iria cooperar. Eles então sequestraram o filho de Joseph, Callum, e fingiram a morte dele. Para encorajar Cal, Rikkin disse a ele que Joseph assassinou a mãe de Cal apenas por vontade, não contando a ele que ela havia pedido a morte.

Desse jeito, Cal alcançou sincronização perfeita com Aguilar, e eles descobriram que a Maçã estava na tumba de Cristóvão Colombo. Contudo, quando Rikkin e Sophia haviam deixado o prédio para ir até a tumba de Colombo, os Assassinos lá capturados se revoltaram e Cal mudou suas ideias devido a o que ele viu no Animus, e virou um Assassino. [10]

MorteEditar

Rikkin e Sophia encontraram com sucesso a Maçã, e então foram a uma Sede Templária em Londres. Lá, Sophia ficou frustrada com Rikkin pois era ele quem iria receber toda a glória e a Maçã não seria usada para erradicar a violência do jeito que ela desejava, e sim para acabar com o livre-arbítrio, e controlar o mundo através de uma tirania.

Rikkin disse a ela que o tempo como uma Templária de destaque para ela iria chegar, e então se apresentou no palco a multidão de Templários. Em meio ao seu discurso, um grupo de Assassinos liderados por Cal lançou bombas de fumaça e o salão ficou envolto por fumaça. No meio do caos, Cal se esgueirou por trás de Rikkin e cortou a garganta do Templário com sua Lâmina Oculta, e então recuperou a Maçã e fugiu da área.

ApariçõesEditar

Aparições não canônicasEditar

ReferênciasEditar

Predefinição:ACH Predefinição:Initiates