FANDOM


Íconedeera-AC1Íconedeera-Assassinos

"Mukhlis: "Ele tira nosso dinheiro e não nos dá nada em troca, onde uma vez a cidadela era o coração da comunidade, da qual veio força, orientação ..." Altaïr: "E proteção". Mukhlis: "Isso também. Todas essas coisas deixadas com você, Altaïr, para serem substituídas por ... corrupção e paranóia"."
―-Mukhlis e Altaïr discutindo a liderança de Abbas, 1247.

Abbas Sofian (1166 - 1247) era membro da Irmandade Levantina dos Assassinos e Mentor de 1227 até sua morte. Sua liderança sobre a Irmandade Levantina mostrou um período de corrupção e desrespeito pelo Credo da Ordem, resultando no declínio de Masyaf e seus aldeões temendo e detestando secretamente os Assassinos.

Criado como Assassino desde o nascimento, ao lado de Altaïr Ibn-La'Ahad, os dois se tornaram melhores amigos durante a infância. No entanto, depois que Altaïr revelou a Abbas que seu pai, Ahmad Sofian, se havia suicidado em vez de deixar a Ordem como Abbas acreditava, ele chamou de Altair um mentiroso e desenvolveu um ódio intenso por ele que duraria toda a vida.

Depois que Altaïr matou seu ex-Mentor, Al Mualim, Abbas ficou contra Altaïr, que desejava se tornar o novo líder da Ordem. No entanto, ele finalmente se arrependeu e manteve um perfil baixo durante o tempo de Altaïr como Mentor.

Quando Altaïr e sua família partiram para a Mongólia para lidar com a ameaça liderada por Genghis Khan, Abbas realizou um golpe de Estado secreto contra a Ordem, matando o filho de Altaïr, Sef Ibn-La'Ahad, e enquadrando o melhor amigo de Altaïr e a mão direita Malik Al-Sayf, que foi jogado na prisão e depois executado.

Após Assassinar Sef e Malik, Abbas ocupou o maior poder sobre a Ordem e, portanto, implementou um conselho na Irmandade, com ele mesmo como chefe. ele também dissolveu o conselho, usurpando o título de Mentor e tornando-se o único líder dos Assassinos Levantinos.

Sob a liderança de Abbas, a Ordem entrou em declínio e corrupção. Além disso, Abbas passou a maior parte de seu tempo escondido na fortaleza de Masyaf, temendo por sua vida. Eventualmente, depois que Altair retornou do seu exílio, os assassinos se juntaram a ele novamente e Abbas foi morto por uma das Novas Armas de Altair. 

BiografiaEditar

Abbas Sofian nasceu em Masyaf, no ano de 1166. Como filho de Ahmad Sofian, membro da Ordem dos Assassinos.

Em 1176, durante um cerco de Masyaf, o pai de Abbas foi capturado pelos sarracenos atacantes e, sob a tortura, revelou o nome de Umar Ibn-La'Ahad como assassino que havia matado um nobre sarraceno. Umar foi executado por vontade propria para poupar a vida de Ahmad; No entanto, ele se tornou culpado pela morte de seu companheiro assassino.

Isso levou mais tarde a Ahmad a se matar nos aposentos de Altaïr, sendo assim,para evitar a dor da Humilhação, Abbas foi criado acreditando que seu pai havia deixado a Ordem e retornaria um dia. 

Abbas e Altaïr passaram a viver como Irmãos, e juntos eles começaram seu treinamento para se tornar Assassinos, sob a tutela de seu Mentor, Al Mualim. Os dois meninos desenvolveram uma amizade íntima, no entanto, o pensamento do exílio auto imposto de seu pai nunca esteve longe da mente de Abbas.

Depois de algum tempo, Altaïr começou a notar uma mudança no humor de Abbas, com a tensão do desaparecimento de seu pai começando a desgastá-lo.Com a esperança de que lhe daria um pouco de paz, Altaïr informou a Abbas que seu pai não abandonou Abbas como ele pensou, mas que ele realmente se suicidou nas câmaras de Altaïr pouco depois do cerco sarraceno. Abbas se recusou a acreditar nele e simplesmente se virou na cama, em silêncio. 

Durante o treinamento de combate no dia seguinte, Abbas fez um pedido ao instrutor Labib para usar espadas reais em treinamento, um pedido que foi aceito com a alegria de Labib. No entanto, em vez de participar de seu treinamento regular, Abbas atacou ferozmente Altaïr com um ódio, exigindo saber por que ele havia mentido sobre seu pai.

Relutantemente, Altaïr admitiu falsamente a mentira, e os dois foram jogados nas celas de Masyaf por um mês. Quando eles foram autorizados a continuar seu treinamento, Abbas foi punido ainda mais, como Al Mualim decretou que ele trouxe desrespeito à Ordem, permitindo que suas emoções fossem livres e, como tal, seu treinamento deveria ser prorrogado por um ano.

Ataque em Masyaf Editar

Seguindo estes eventos, nenhum dos dois considerava um ao outro irmãos. quando Abbas tinha cerca de 23 anos, masyaf foi atacado por Templários sob o comando de Haras, um ex-assassino Aprendiz que traiu a ordem, devido à sua insatisfação com a ordem. durante este tempo, Abbas se juntou aos seus companheiros assassinos na batalha contra os Templários.

quando Altair chegou no meio da luta, Abbas se encontrou com ele e disse-lhe que necessário recuar. ele também informou Altair que os Templários tinha levado al mualim e outros assassinos como reféns e que não poderia fazer nada para salvá-lo. no entanto, Altair ordenou Abbas que cercasse os Templários no Castelo. Apesar de sua protestos, Abbas não tinha opção a não ser seguir Altaïr que possuía um Rank maior do que ele.

A Missão de salvar Al Mualim de Haras acabou por ser bem sucedida,com isso Altaïr foi Recompensado com o Rank de Mestre Assassino. Abbas, em um ato de ciúme, cuspiu no chão e foi embora, enquanto os outros zombou de sua resposta. este evento foi o primeiro sinal de arrogância que Altaïr apresentou, que ao longo dos tempos, serviu de combustível para o ódio de Abbas.

Iniciando uma Guerra CivilEditar

Em 1191, Al Mualim tomou  posse de um dos Pedaços do Éden da  Primeira Civilização, que estava escondida no Templo de Salomão em Jerusalém. Estudando a Maçã ao longo de vários meses, Al Mualim descobriu que sua mente não era capaz de compreender seus poderes, e logo ficou corrompido e desiludido por ela.

Eventualmente, Al Mualim traiu a Ordem que tinha servido fielmente e estritamente por vários anos, e usou a Maçã para fazer Lavagem Cerebral nos Assassinos presentes em Masyaf para segui-lo e adorar. Com a descoberta das afiliações secretas dos templários de seu Mentor, Altaïr enfrentou Al Mualim e o matou nos jardins do castelo, escondendo posteriormente a Apple na sala de estudo de Al Mualim no castelo de Masyaf. Após a morte de Al Mualim, Abbas abriu caminho até o castelo e se encontrou com Altaïr nos portões, onde descobriu seu rival havia matado e estava carregando o cadáver de seu Mentor. Abbas,desconfiado e exigiu uma explicação, enquanto ouvia os raciocínios de Altaïr eles caminhavam para uma pira funerária que estava em um penhasco perto do castelo.

Quando Altaïr acendeu o corpo de Al Mualim em chamas, Abbas o confrontou, dizendo que a queimação do corpo de um homem era proibida em sua Ordem. Na sua defesa, Altaïr disse que o corpo poderia ser "outro dos fantasmas de Al Mualim", e que ele não deveria ter a chance de retornar. Irritado, Abbas empurrou Altair para fora do penhasco, onde foi confrontado tanto por cidadãos irritados quanto por assassinos.

Abbas correu até a sala de estudo de Al Mualim no castelo, do qual ele roubou a Maça do Éden, e passou a subir ao topo da torre de vigia fora da fortaleza para cuidar da guerra civil que ele havia começado. Gritando para Altaïr e afirmando que ele não era capaz de empunhar a Maçã, Abbas logo se viu incapaz de resistir seu charme e ativou-a.

Porem, a mente de Abbas nao era capaz de suportar as conseqüências de suas ações, e a Maçã começou a drenar lentamente a vida de seu corpo. Em resposta, Altaïr subiu rapidamente a torre e pegou a Maçã de Abbas para salvá-lo, “arrependido” Abbas murmurou um pedido de desculpa para Altaïr.

Com o passar do tempo, Altair ganhou o apoio total dos outros membros da Ordem, e tornou-se o Mentor dos Assassinos Levantinos, muito para o descontentamento de Abbas. No entanto, seu ódio por seu antigo Mentor foi superado e passado para ao novo Mentor e sendo assim Abbas se virou contra seu antigo amigo.

Tomando o Controle da IrmandadeEditar

Vida Posterior e MorteEditar

LegadoEditar

Últimas PalavrasEditar

Características e PersonalidadeEditar

CuriosidadesEditar

GaleriaEditar

AparênciasEditar

ReferênciasEditar